“Inacreditável” e “de muito mau gosto”. É assim que Miguel Sousa Tavares, escritor, jornalista e filho da poetisa Sophia de Mello Breyner — que está sepultada no Panteão Nacional –, reage à notícia de que a Web Summit realizou um jantar privado no monumento, onde estiveram presentes alguns CEOs de empresas que participaram no evento.

Para Sousa Tavares, o evento é um sintoma “da saloiice nacional com que o país tratou a Web Summit”. “Bem patente, aliás, num Presidente da República que vai lá para dizerem para virem para o nosso país”, acrescenta. Questionado pelo Observador sobre como vê o facto de desde 2014 ser legal o aluguer de um espaço como o Panteão Nacional para eventos deste tipo, o escritor sublinha o seu total desacordo com este tipo de iniciativas e deixa uma pergunta: “O que é que vai acontecer lá a seguir? A Moda Lisboa?”

“Acho de um mau gosto inacreditável, só num filme do Polanski — mas esses pelo menos eram bons“, diz Sousa Tavares. A sua mãe, a poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen, está sepultada no Panteão Nacional desde 2014. Para além dela, outras figuras nacionais como Almeida Garrett, Humberto Delgado ou Amália Rodrigues estão igualmente sepultadas no monumento.