Mercedes-Benz

Novo Classe A é (mesmo) uma estrela. Em tecnologia

680

Foi oficialmente revelada a quarta geração do mais barato dos Mercedes. O novo Classe A ganha estilo e três novas motorizações. Também cresce. Em dimensões, mas principalmente no arsenal tecnológico.

Foi oficialmente apresentado o novo Classe A, modelo que aporta uma série de melhorias, mas que se destaca sobretudo pela tecnologia que disponibiliza e que está a um nível que não é habitual neste segmento. Mas, já lá vamos.

A primeira evolução, face à geração anterior, descobre-se de fita métrica na mão. O compacto da estrela acusa um ligeiro crescimento, de 14 mm no comprimento e de 30 mm na distância entre eixos, o que significa que passa a oferecer uma melhor habitabilidade, com os ocupantes agora a usufruírem de mais espaço ao nível dos ombros e da cabeça.

O acréscimo de dimensões também se reflecte na volumetria da mala, o que se agradece, sobretudo quando se trata de uma compra destinada a desempenhar a missão de ‘carro da família’. Aos anteriores 341 litros de capacidade da bagageira somam-se agora mais 29, mas um porta-bagagens de 370 litros ainda não dá tão bem conta do recado, na hora de arrumar a tralha, como os 380 litros de um Golf, os 434 litros de um Mégane ou os 590 litros de um Skoda Octavia…

Em contrapartida, o Classe A posiciona-se como o “último grito”, em termos de tecnologia, no segmento C. Traduzindo, nenhum outro rival oferece aquilo que a Mercedes designa de MBUX. O nome (na verdade) pouco interessa, o que interessa é que se trata de um novo sistema multimédia, que é uma estreia na marca e está associado ao painel de instrumentos digital. Há três versões: uma em que cada um dos ecrãs tem 7 polegadas; outra que aumenta um dos ecrãs para 10,25”, e a de topo, que recorre a dois displays de 10,25”, fazendo com que o tablier pareça ser rasgado por um enorme ecrã, o qual é operável via toque ou ser comandado por voz, pagando um pouco mais por isso, neste último caso. Funciona assim:

Mas se a componente digital salta à vista, outras tecnologias existem que não perceptíveis, a menos que se assumam os comandos do novo Classe A, pois é ao volante que se descobre que o compacto germânico incorpora sistemas de assistência à condução disponíveis não numa, mas duas classes acima. Por exemplo, o cruise control adaptativo que “migra” do Classe S e que, também no A, é capaz de ajustar automaticamente a velocidade antes de curvas, rotundas ou cruzamentos.

Como motorizações, são três as novidades, no lançamento, duas a gasolina e uma a gasóleo. No primeiro caso, a Mercedes passa a dispor de um novo 1.4 turbo de quatro cilindros, o A 200, com 163 cv e 250 Nm, associado a uma caixa automática de dupla embraiagem e sete velocidades (consumo combinado de 5,1 l/100 km e emissões de 120 g/km), ou a uma transmissão manual de seis relações. Neste caso, elevando o consumo em ciclo misto para 5,6 l/100 km e as emissões de CO2 para 133 g/km. Já o 2 litros A 250 oferece 224 cv e 350 Nm, para um consumo combinado de 6,0 l/100 km e emissões de CO2 de 141 g/km. Finalmente, o 1,5 litros diesel A 180 está, tal como o A 250, acoplado à caixa automática de sete velocidades e dupla embraiagem, com este quatro cilindros de 116 cv e 260 Nm a ser o mais poupado da oferta para já disponível. A tecnologia AdBlue, o turbocompressor melhorado, o intercooler por arrefecimento líquido e o peso reduzido permitem-lhe anunciar consumos de 4,1 l/100 km, enquanto as emissões se fixam nas 108 g/km.

O novo hatchback está disponível de série com tracção dianteira, mas pode recorrer opcionalmente aos serviços do sistema de tracção integral 4Matic. Para além disso, a suspensão foi revista, visando o incremento do conforto, sendo que pode tornar-se ainda mais eficaz caso o cliente opte por amortecedores capazes de se ajustar, por controlo electrónico, ao modo de condução seleccionado. Ainda no domínio dos opcionais, é possível substituir os faróis por versões de LED Multibeam.

O novo Classe A chega à Europa ainda este ano. A fábrica alemã de Rastatt vai arrancar com a produção, sendo depois seguida pelas linhas da Hungria, Finlândia, México e China.

Segundo a marca, a actual família de modelos à volta do A vai passar dos actuais cinco modelos (Classe A, Classe B, CLA, CLA Shooting Brake e GLA) para oito. Quais e quando, a Mercedes não diz, limitando-se a dizer que será “no futuro”.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)