Superdesportivo que conta já no seu cartão de visita com a vitória nas 24 Horas de Le Mans, e logo no ano de estreia (2016), o Ford GT dificilmente será um carro que veremos nas nossas estradas – não só porque é caro, mas também porque tem uma produção limitada. O que não impediu a marca da oval de criar uma espécie de versão especial apenas para os empregados que já têm garantido o seu GT.

Esta decisão não significa que a Ford vá aumentar a produção além das 500 previstas para os primeiros dois anos, ou que esteja a pensar produzir unidades exclusivas para os seus trabalhadores. Nada disso: trata-se, apenas, de uma decoração exclusiva para os funcionários, inspirada na decoração do modelo que venceu em Le Mans, e bastante diferente das oito cores exteriores que qualquer cliente poderá escolher.

Denominado “Victory”, este novo esquema de cores exteriores passa por uma conjugação das tonalidades vermelho e azul, em base branca, com a designação “GT” e a bandeira norte-americana nas portas. Não será, propriamente, uma cópia fiel da decoração do carro que venceu Le Mans, mas, enfim, dá para perceber a ideia…

Por saber fica apenas quantas unidades do Ford GT exibirão a “Victory”, embora se saiba que o presidente da Ford América do Norte, Raj Nair, foi o primeiro funcionário a receber o seu GT com esta pintura. Aliás, entre os nomes conhecidos que trabalham para a marca da oval e que continuam à espera do respectivos GT estão também os dois pilotos oficiais da Ford, que já correm com o superdesportivo, Harry Tinknell e Dirk Muller. E que também vão receber uma unidade homologada para estrada. Com a declaração Victory? Muito possivelmente…

Já no papel de clientes, aguardam igualmente o seu Ford GT nomes como o ex-piloto Dario Franchitti, a cantora Amy McDonald, o produtor musical Deadmau5, o jogador de basebol C.J. Wilson, o youtuber Shmee150, o actor Scott Eastwood, o comediante Jay Leno, o antigo lutador John Cena e até o director executivo do McLaren Technology Group, Zak Brown.