A Coca-Cola vai aventurar-se no mercado das bebidas alcoólicas, quebrando assim mais de 130 anos de história dedicados apenas às “soft drinks”. A maior empresa de refrigerantes do mundo decidiu apostar no mercado emergente das “alcopops” de Chu-Hi, no Japão, escreve o Financial Times.

A Chu-Hi é uma bebida japonesa que consiste na mistura de água com gás, “shōchū” — uma bebida alcoólica tipicamente japonesa –, e diferentes tipos de sabores, tendo uma percentagem de álcool entre 3 e 8%. O mercado desta bebida é bastante competitivo, sendo dominado por marcas que no Ocidente nos são bastante desconhecidas, tais como a Strong Zero, a Highball Lemon e a Slat.

A notícia surge cerca de quatro meses depois de a Wells Fargo ter especulado num relatório que a Coca-Cola poderia anunciar em breve uma aposta no mercado das bebidas alcoólicas. Em Novembro, num evento de investidores, o CEO da Coca-Cola, James Quincey, não negou essa possibilidade, mas tão pouco detalhou qualquer tipo de ambições no mercado do álcool.

Coca-Cola procura alternativa ao açúcar – e paga um milhão a quem a descobrir

Os planos da empresa foram conhecidos através de uma entrevista publicada no próprio site da Coca-Cola ao presidente da empresa no Japão, Jorge Garduño. Em resposta a uma pergunta sobre novos produtos, Garduño, que antes de ser presidente da unidade japonesa foi director-geral da Coca-Cola em Espanha, Portugal e Andorra, afirmou que a empresa ia lançar um produto no mercado das Chu-Hi, “uma bebida enlatada que contém álcool”.

Jorge Garduño considerou ainda que a aposta da Coca-Cola nas Chu-Hi “faz sentido” considerando a força do mercado, que, de acordo com números da empresa de bebidas japonesa Suntory, tem crescido entre 5 a 25 por cento anualmente desde 2013.

A experiência nas Chu-Hi foi descrita por Garduño como sendo “modesta” e para “uma fatia muito específica” do mercado da empresa, apontando que a Coca-Cola “sempre se focou inteiramente em bebidas não-alcoólicas”. O presidente da unidade nipónica referiu ainda que não devemos esperar que a Coca-Cola se aventure nas “alcopops” noutro sítio que não o Japão.

As vendas da Coca-Cola na área dos refrigerantes têm diminuído nos últimos tempos a nível mundial graças a uma geração jovem que cada vez evita o consumo de açúcar em favor de outras bebidas, escreve o Financial Times. Por isso, a empresa tem apostado nos segmentos das águas e dos chás.

Consumo de refrigerantes cai 25% em meio ano