A Coca-Cola vai aventurar-se no mercado das bebidas alcoólicas, quebrando assim mais de 130 anos de história dedicados apenas às “soft drinks”. A maior empresa de refrigerantes do mundo decidiu apostar no mercado emergente das “alcopops” de Chu-Hi, no Japão, escreve o Financial Times.

A Chu-Hi é uma bebida japonesa que consiste na mistura de água com gás, “shōchū” — uma bebida alcoólica tipicamente japonesa –, e diferentes tipos de sabores, tendo uma percentagem de álcool entre 3 e 8%. O mercado desta bebida é bastante competitivo, sendo dominado por marcas que no Ocidente nos são bastante desconhecidas, tais como a Strong Zero, a Highball Lemon e a Slat.

A notícia surge cerca de quatro meses depois de a Wells Fargo ter especulado num relatório que a Coca-Cola poderia anunciar em breve uma aposta no mercado das bebidas alcoólicas. Em Novembro, num evento de investidores, o CEO da Coca-Cola, James Quincey, não negou essa possibilidade, mas tão pouco detalhou qualquer tipo de ambições no mercado do álcool.

Os planos da empresa foram conhecidos através de uma entrevista publicada no próprio site da Coca-Cola ao presidente da empresa no Japão, Jorge Garduño. Em resposta a uma pergunta sobre novos produtos, Garduño, que antes de ser presidente da unidade japonesa foi director-geral da Coca-Cola em Espanha, Portugal e Andorra, afirmou que a empresa ia lançar um produto no mercado das Chu-Hi, “uma bebida enlatada que contém álcool”.

Jorge Garduño considerou ainda que a aposta da Coca-Cola nas Chu-Hi “faz sentido” considerando a força do mercado, que, de acordo com números da empresa de bebidas japonesa Suntory, tem crescido entre 5 a 25 por cento anualmente desde 2013.

A experiência nas Chu-Hi foi descrita por Garduño como sendo “modesta” e para “uma fatia muito específica” do mercado da empresa, apontando que a Coca-Cola “sempre se focou inteiramente em bebidas não-alcoólicas”. O presidente da unidade nipónica referiu ainda que não devemos esperar que a Coca-Cola se aventure nas “alcopops” noutro sítio que não o Japão.

As vendas da Coca-Cola na área dos refrigerantes têm diminuído nos últimos tempos a nível mundial graças a uma geração jovem que cada vez evita o consumo de açúcar em favor de outras bebidas, escreve o Financial Times. Por isso, a empresa tem apostado nos segmentos das águas e dos chás.