A Tesla produz – pelo menos até agora – os melhores automóveis eléctricos do mercado, em termos de potência, tecnologia, capacidade de aceleração e autonomia. Mas está longe de ser uma referência no que respeita a conseguir alcançar as metas de fabrico nas datas anunciadas. Contudo, e após duas ou três derrapagens, o fabricante americano conseguiu finalmente cumprir com o prometido e produziu 5.000 veículos por semana.

O ambiente que se viveu, dentro da própria marca, foi de festa e o seu CEO Elon Musk não se fez rogado, anunciando o feito, tanto mais que aos 5.000 Model 3 se juntaram mais 2.000 unidades dos Model S e X. O anúncio de Musk veio pelo Twitter, como é habitual.

Ainda a poeira não tinha assentado, sobre o anúncio, eis que a Ford resolveu dar uma bicada na Tesla, ainda sentida pelo facto de um fabricante de automóveis jovem ter um valor em bolsa superior à centenária marca americana. A resposta surgiu igualmente pelo Twitter, através da conta do CEO da Ford Europa, Steven Armstrong, que relembrou que a Ford, nos EUA, produz os mesmos 7.000 veículos em apenas 4 horas.

Em abono da verdade, este ataque da Ford vem na sequência de outro, desta vez da Tesla. Elon Musk, numa entrevista ao Wall Street Journal, afirmou que a energia que se sentia numa linha de produção da Ford era equivalente à de uma morgue. O que levou a que o vice-presidente da Comunicação da Ford respondesse de imediato: “Na Ford, sai da linha de montagem uma F150 a cada 53 segundos…”