G20

Países do G20 alertam para ameaça das tensões comerciais no crescimento mundial

O alerta foi lançado este domingo, depois de concluída a reunião que começou no passado sábado. Dizem que é preciso "reforçar o diálogo e as ações para limitar os riscos e reforçar a confiança".

G20 / HANDOUT/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Os 20 países mais industrializados do mundo concluíram hoje, em Buenos Aires, na Argentina, que o crescimento mundial “está robusto”, mas ameaçado, “a curto e médio prazo, pelo aumento das tensões comerciais e geopolíticas”.

No comunicado final da reunião, que se iniciou sábado e terminou hoje, os participantes reconheceram também a necessidade de “reforçar o diálogo e as ações para limitar os riscos, e reforçar a confiança” nas economias dos países.

Estas conclusões estão na mesma linha das declarações da diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, que já tinha alertado para o impacto da guerra comercial sobre o crescimento económico mundial, durante a abertura da reunião com ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais do G20.

A reunião esteve marcada pela decisão do presidente norte-americano, Donald Trump, de reforçar a sua política protecionista, através da aplicação de tarifas aos seus parceiros comerciais, sobretudo a China.

Os ministros das Finanças expuseram o aumento dos riscos económicos de curto e médio prazo, apontando “as recentes vulnerabilidades financeiras, o aumento das tensões comerciais e geopolíticas” e o “crescimento estruturalmente débil, particularmente em algumas economias avançadas”.

Com o protecionismo como grande tema de fundo, os participantes reafirmaram as conclusões alcançadas na cimeira de Hamburgo do ano passado, quando atingiram um compromisso com o comércio livre, destacando que estavam a trabalhar para “fortalecer” a contribuição do comércio para as suas economias.

Sobre as mudanças a fazer – outro dos temas que tem gerado maiores fricções no panorama internacional – as nações do G20 manifestaram a intenção de “comunicar claramente as suas ações de política macroeconómica e estrutural”.

Reiteraram hoje o compromisso assumido anteriormente, ao afirmarem que a política monetária “irá continuar a assegurar a estabilidade”.

“Vamos continuar a utilizar todas as ferramentas para apoiar um crescimento forte, sustentável, equilibrado e inclusivo”, lê-se no comunicado final.

Sobre as economias emergentes, os ministros presentes enfatizaram que, se muitas delas “se encontram agora melhor preparadas para se ajustarem às mudanças das condições externas”, ainda “enfrentam desafios como a volatilidade dos mercados e a reversão de fluxos de capital”.

O G20 assinalou que as infraestruturas são “um dos pilares do crescimento e desenvolvimento”, e esperam gerar projetos atraentes para investidores privados, uma área em que o grupo espera “avanços críticos” até ao final do ano, quando os presidentes das nações membro se encontrarem também em Buenos Aires.

Afirmaram ainda que deve ser assegurada a “ampla partilha” dos benefícios dos avanços tecnológicos no mundo.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)