Guilherme Siqueira, lateral esquerdo brasileiro que passou pelo Benfica na época 2013/14 por empréstimo do Granada, anunciou o final da carreira futebolística aos 32 anos, depois de mais de uma época sem jogar devido a uma lesão no joelho.

A despedida dos relvados foi confirmada pelo próprio na sua conta pessoal de Instagram. A comunicar “uma boa notícia”, Siqueira explicou: “Após um período afastado dos relvados a tratar de uma lesão no tornozelo, cheguei à conclusão que é o momento de parar“. E por que razão é essa uma boa notícia? “Porque quando eu olho para trás, lembro de todas as dificuldades que superei, dos amigos que ganhei, dos títulos que conquistei, dos lugares que conheci, das competições que disputei, dos clubes que defendi, e o melhor, consigo ter o maior orgulho disso tudo”, atira o brasileiro.

View this post on Instagram

COMUNICADO (????????????????) VÍDEO (????????????????????????) ????????: Estoy aquí para dar una buena noticia a todos los que siguieron mi carreira a lo largo de estos 15 años de fútbol. Después de un periodo lejos de los terrenos de juego por un problema de tobillo, llego a la conclusión de que es el momento de parar. Y porque digo que es una buena noticia? Es simples! Porque cuando miro hacia atrás, me acuerdo de todas las dificultades que he superado, de los amigos que he ganado, de los títulos que he conquistado, de los sitios que he conocido, de las competiciones que he disputado, de los clubes que he defendido, y tengo un orgullo imenso de todo eso. Me considero un privilegiado por haber construido una carreira victoriosa y principalmente limpia, sin perder mis principios para llegar donde he llegado. Me viene solo una palabra para toda esa situación. Gracias. Gracias familia, amigos, compañeros de profesión, directivos, aficionados y gracias Futbol. Nuestra historia ha sido espectacular pero no termina aquí. Nuevos capítulos surgirán, pero desde fuera. ????????: Estou aqui para dar uma boa notícia a todos que acompanharam minha carreira ao longo desses quase 15 anos de futebol. Após um período afastado dos gramados tratando de uma lesão no tornozelo, cheguei à conclusão que é o momento de parar. E por que eu falo que é uma boa notícia? Simples! Porque quando eu olho para trás, lembro de todas as dificuldades que superei, dos amigos que ganhei, dos títulos que conquistei, dos lugares que conheci, das competições que disputei, dos clubes que defendi, e o melhor, consigo ter o maior orgulho disso tudo. Me considero um privilegiado por ter construído uma carreira vitoriosa e, principalmente, limpa, sem ter passado por cima dos meus princípios para chegar onde cheguei. Só tenho uma palavra para resumir este momento: GRATIDÃO. Obrigado família, amigos, companheiros de profissão, dirigentes, torcedores, e obrigado futebol. A nossa história foi linda, mas ela não acaba aqui. Novos capítulos surgirão, agora não mais dentro dos gramados. @figueirenseoficial @avaifc @inter @official_sslazio @udinesecalcio #AnconaCalcio @granadacf @slbenfica @atleticodemadrid @valenciacf

A post shared by Guilherme Siqueira (@guilhermesiqueira86) on

Sem clube há mais de um ano, Siqueira pisou os relvados pela última vez com a camisola do Valência numa partida frente ao Real Sociedad, a 26 de abril de 2017. Emprestado pelo Atlético de Madrid, o lateral esquerdo realizou 26 encontros em duas épocas ao serviço dos valencianos, antes de se lesionar com gravidade no joelho e ver-se desamparado.

“Na minha primeira meia temporada, o Gayà estava lesionado e joguei muitos jogos infiltrado. Pensei que teria o apoio de mais pessoas do clube, porque a lesão vinha de um esforço que fiz pelo Valência. Houve gente dentro do clube que me disse que tinha de deixar o futebol. Isso é uma coisa vergonhosa”, lamentou à Onda Deportiva Valencia, pouco depois de se ver sem clube.

[Vídeo do único golo de Guilherme Siqueira com a camisola do Benfica]

Siqueira começou a carreira no Avaí, antes de se mudar para o Inter da Serie A, onde nunca singrou. Continuou em Itália, entre a Lazio, a Udinese e o Ancona, para depois prosseguir a carreira em Espanha, onde chegou para representar o Granada. Deu nas vistas e, em 2013/14, chegou ao Benfica por empréstimo para conquistar três dos quatro títulos do seu palmarés: Liga NOS, Taça de Portugal e Taça da Liga. Saiu com um golo marcado em 33 partidas. 

Da Luz, regressou a Espanha, onde ainda foi a tempo de ganhar uma Supertaça espanhola com o Atlético, antes de ser cedido ao Valência e ver a lesão no joelho afastá-lo dos relvados por demasiado tempo. De agora em diante, uma promessa: não será a última vez que ouviremos falar de Guilherme Siqueira. “A nossa história foi linda, mas ela não acaba aqui. Novos capítulos surgirão, agora não mais dentro dos relvados”, garante o brasileiro de 32 anos.