“Kin-Arma Letal”

De uma curta-metragem, “Bag Man”, feita há quatro anos, os irmãos Jonathan e Josh Baker tiraram este “Kin-Arma Mortal”, sobre um miúdo adoptado que acha uma poderosa arma alienígena numa fábrica abandonada e se mete numa série de complicações com o irmão mais velho, que saiu da cadeia e deve dinheiro de protecção a um criminoso que não está para brincadeiras. Os Baker misturam vários géneros em “Kin-Arma Letal” (ficção científica tendência jogo de vídeo, acção,”road movie”, etc.), que aspira também a ser filme de culto e promete uma continuação no final, mas tudo aqui é muito superficial, previsível, espalhafatoso e sem pinga de originalidade. Dennis Quaid e o omnipresente James Franco fazem parte do elenco, embora não acrescentem nada ao filme.

“Vazante”

Uma co-produção entre Portugal e Brasil ambientada em Minas Gerais, no início do século XIX e rodada a preto e branco pela brasileira Daniela Thomas, pela primeira vez sem a colaboração de Walter Salles, o seu habitual parceiro de realização. “Vazante” passa-se numa grande fazenda, propriedade de um português, que perde a mulher e o filho durante o parto e se casa pouco depois com a irmã mais nova desta, ainda menor. A realizadora recria dedicada e minuciosamente a época e as relações hierárquicas e de poder na casa senhorial e entre criados e escravos, e sublinha a presença envolvente da natureza e o lento passar do tempo. Lento demais, porque quando o final — telegrafado e decepcionantemente convencional — chega, estamos entorpecidos até à medula.

“BlacKkKlansman: O Infiltrado”

O novo filme de Spike Lee, premiado no Festival de Cannes, inspira-se na história real de Ron Stallworth (interpretado por John David Washington, filho de Denzel Washington), que na década de 70 se tornou no primeiro agente negro da polícia de Colorado Springs, e em colaboração com o seu colega e amigo Flip Zimmerman (Adam Driver), infiltrou e desmantelou a célula local do Ku Klux Klan, conseguindo mesmo enganar o líder desta organização na altura, David Duke. Lee aproveita a história de Stallworth para fazer paralelos entre a situação racial nos EUA da altura e agora. “BlacKkKlansman: O Infiltrado” foi escolhido pelo Observador como filme da semana, e pode ler a crítica aqui.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR