Victoria's Secret

Victoria’s Secret: Elsa Hosk e o soutien de 1 milhão

Shawn Mendes e Rita Ora vão atuar, Gigi Hadid, Kendall Jenner e Toni Garrn têm regresso marcado, mas é Elsa Hosk quem vai exibir o soutien milionário. O desfile acontece a 8 de novembro.

A sueca Elsa Hosk irá usar um soutien avaliado em um milhão de euros

Getty Images for Victoria's Secr

Anjos há muitos, mas, ano após ano, só um é escolhido para desfilar com o Fantasy Bra. Na próxima quinta-feira, em Nova Iorque, Elsa Hosk irá suceder à brasileira Lais Ribeiro na prestigiante tarefa de percorrer a passerelle com a peça mais cara do desfile da Victoria’s Secret. Chama-se Dream Angels Fantasy Bra e foi desenhado e confecionado pelo Atelier Swarovski. À primeira vista, parece bem mais simples do que os exemplares anteriores. Ainda assim, é composto por mais de 2100 cristais desenvolvidos em laboratório e topázios, revestido a prata de lei e está avaliado em um milhão de dólares (cerca de 877.000 euros).

Elsa Hosk e o Dream Angels Fantasy Bra

A peça passou pelas mãos de quatro artesãos e demorou 930 horas a ser feita, segundo divulgou a própria Swarovski. O visual de Hosk não fica por aqui. O atelier produziu ainda um colar e pulseiras de cristal, desenhados pelo criador escocês Christopher Kane. O presente veio mesmo a calhar para a modelo sueca, que celebra 30 anos na véspera do desfile. Elsa Hosk desfilou pela primeira vez para a Victoria’s Secret há sete anos, não tendo falhado nenhum desfile desde então. Em 2015, ganhou asas e tornou-se num dos famosos anjos da marca.

Com pedras criadas em laboratório, técnica explorada pela primeira vez em 2017, a Swarovski quer trazer a ética e a sustentabilidade para a passerelle da Victoria’s Secret. Em comunicado, a marca afirma que os cristais têm “os mesmos atributos óticos, químicos e físicos que os diamantes minerais”, reconhecendo-lhes ainda “a mesma dureza e brilho”. Quanto aos topázios, a marca refere ainda que foram adquiridos “através de fontes viáveis, no Brasil e Sri Lanka”.

O Fantasy Bra é um símbolo de luxo da marca norte-americana e já foi usado por nomes como Lily Aldridge, Adriana Lima, Alessandra Ambrosio, Candice Swanepoel, Gisele Bundchen, Tyra Banks, Heidi Klum e Karolina Kurkova. O deste ano está muito longe de ser o mais caro, posiciona-se, aliás, entre o mais barato de sempre, a par do The Million Dollar Miracle Bra, usado por Claudia Schiffer, em 1996.

O recorde pertence ao Red Hot Fantasy Bra, usado por Gisele Bündchen, em 2000, e avaliado em 15 milhões de dólares (na época, o equivalente a 17.263.200 euros). Agora, pela primeira vez, haverá uma versão mais em conta. Com cristais Swarovski, o Dream Angels Fantasy Bra estará à venda a partir do dia 29 de novembro nas lojas Victoria’s Secret e na loja online. Custará 250 dólares (cerca de 220 euros).

Shawn Mendes e Rita Ora: quem é que vai dar música aos anjos?

Shawn Mendes é o grande cabeça de cartaz da noite. O cantor canadiano (com ascendência portuguesa) troca o habitual palco pela passerelle montada em Nova Iorque e, como manda a tradição, interpretará os seus maiores êxitos. Rita Ora também está convidada, à semelhança de Bebe Rexha, ela que atuou nos Mtv European Music Awards, no passado domingo, da cantora norte-americana Kelsea Ballerini, do duo The Chainsmokers e dos britânicos The Struts.

Ao contrário do ano passado, quando Katy Perry não obteve visto para voar até Xangai, dificilmente haverá ausências de última hora. A Victoria’s Secret, com o seu grande evento anual, regressa a Nova Iorque (à Big Apple, mais precisamente), depois de dois anos a saltitar por outras paragens (em 2016, o desfile aconteceu em Paris). O desfile será gravado a 8 de novembro, à noite, e transmitido na ABC no dia 2 de dezembro.

Num alinhamento composto por 61 modelos, espera-se também que o desfile volte a estar dividido por temas. Desconhecem-se os nomes dos universos estéticos criados ao longo do evento, certezas só mesmo quanto às linhas que a marca apresenta todos os anos: Victoria Sport, Pink e coleção desenhada em parceira com Mary Katrantzou, a colaboração deste ano (em 2017, foi com a Balmain). A designer grega já começou a revelar algumas peças na sua conta de Instagram. Esperam-se estampados florais, rendas e muita cor, bem ao gosto americano.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
PSD

Quando o Papa não é católico /premium

Rui Ramos

Para o PSD, a exclusão do PCP e do BE é a grande prioridade nacional. Mas para isso, é indiferente votar PSD ou PS. Como explicaram os quadros do BCP, uma maioria absoluta do PS também serve.

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)