SpaceX

Neste foguetão SpaceX não seguiram só satélites. As cinzas de 100 pessoas também subiram ao Espaço

Num projeto criado pela empresa Elysium Space, as famílias de cerca de 100 pessoas puderam enviar as cinzas dos seus ente queridos para o Espaço, a bordo do Space X Falcon 9.

Enviar as cinzas dos entes queridos para o Espaço custou às famílias 2.500 dólares

Elysium Space/Facebook

Além de transportar satélites de 34 organizações diferentes, o foguetão SpaceX Falcon 9, que foi lançado esta segunda-feira, tem uma particularidade: levou as cinzas de 100 pessoas, num projeto criado pela empresa Elysium Space, que deu a oportunidade a várias famílias de enviarem as cinzas dos seus entes queridos para o Espaço por 2.500 dólares. Os familiares puderam acompanhar a viagem em Terra.

As cinzas de James Eberling, que morreu em 2016 e era um amante do Espaço, também seguiram viagem. Foi este, aliás, o último desejo que pediu à família: que os seus restos mortais fossem enviados para as estrelas. Eberling gostava tanto de tudo o que envolvia o Espaço que ia com frequência à base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia, só para tirar fotografias dos lançamentos que eram realizados.

“Estamos muito entusiasmados por garantir o desejo final do James e significa muito para mim e para o meu marido finalmente conseguirmos fazer isto por ele”, disse à CNN a mãe de Eberling, Beverly, acrescentando que no início estava cética quanto à realização do lançamento. Quando James morreu, há dois anos, a sua família sabia apenas que o envio de cinzas para o Espaço já tinha sido feito: aconteceu em 1998 com o astrónomo Eugene Shoemaker, para a Lua, com o ator de “Star Treck”, James Doolan, e também com o astronauta Gorgon Cooper.

As famílias vão poder monitorizar o foguetão em tempo real através de uma app

Um mês depois, descobriram a missão da Elysium Space, com o objetivo de “celebrar um ente querido com a poesia do céu estrelado”, disse a empresa em comunicado. As cinzas foram colocadas numa cápsula de apenas quatro polegadas e enviadas para o Espaço, podendo as famílias monitorizar o foguetão em tempo real através de uma app durante os quatro anos em que vai ficar em órbita e depois quando volta a cair na Terra. O lançamento do SpaceX Falcon 9 estava previsto para o dia 19 de novembro, mas foi adiado para esta segunda-feira.

Na cápsula enviada estão as iniciais de Eberling (JME), juntamente com uma mensagem enviada pela família: “James, foste uma águia presa à terra. Que ascendas agora através dos céus”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ambiente

Menos é mais /premium

Maria João Marques

Pelo que, caríssimos, está na altura de reconhecer que vivemos num mundo com excesso de embalagem, e irmos a correr para um grupo de ‘Viciados em Excesso de Embalagem Anónimos’.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)