A economia de Macau cresceu 4,7% em 2018, registando um abrandamento do ritmo do crescimento, indicam dados hoje divulgados pela Direção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC).

Durante 2018, “a procura interna apresentou um comportamento desfavorável, com uma contração anual de 1,7%”, indicou.

Por outro lado, a despesa do consumo privado, a despesa do consumo final do Governo e as importações de bens registaram aumentos de 4,5%, 3,8% e 4,7%, respetivamente, devido às subidas do número total de empregados, do rendimento do emprego e da despesa do Governo.

As exportações de serviços cresceram 9,4%, em termos anuais, impulsionadas por um ligeiro aumento da procura externa, do número de visitantes e respetivas despesas. A DSEC destacou ainda os aumentos nas exportações de serviços do jogo (10,3%) e nas exportações de outros serviços turísticos (9,4%). As exportações de bens subiram 11%.

No ano passado, o Produto Interno Bruto (PIB) atingiu 440,3 mil milhões de patacas (cerca de 48 mil milhões de euros) e o PIB per capita 666.893 patacas (cerca de 73 mil euros).

O deflator implícito do PIB, que mede a variação global de preços, subiu 3,6% em 2018.

Em relação ao quarto trimestre do ano passado, o PIB de Macau cresceu 2,1% em termos reais, ligeiramente superior a 1,9% no terceiro trimestre.

A DSEC reviu ainda, em baixa, a taxa de crescimento económico do primeiro trimestre de 2018 (9,3%) e em alta as taxas referentes ao segundo (6%) e terceiro (1,9%) trimestres.

Em 2017, o PIB atingiu 404,2 mil milhões de patacas (41 mil milhões de euros) e o PIB ‘per capita’ 622.803 patacas (63 mil euros).