Rádio Observador

Sporting de Braga

Treinador do Vitória de Setúbal pede concentração para vencer Sporting de Braga

O treinador do Vitória de Setúbal elogiou o Sporting de Braga e afirmou que a sua equipa tem argumentos para travar o conjunto minhoto. Sandro Mendes quer a equipa concentrada e empenhada.

O Vitória de Setúbal e o Sporting de Braga defrontam-se sábado, a partir das 15h30 horas

RUI MINDERICO/LUSA

O treinador Sandro Mendes diz que só um Vitória de Setúbal focado pode alcançar no sábado o triunfo na receção ao Sporting de Braga, em jogo da 26.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Em conferência de imprensa, o técnico dos sadinos elogiou o adversário e afirmou que a sua equipa tem argumentos para travar o conjunto minhoto.

emos de estar muito concentrados. O Braga é uma equipa que joga muito bem por dentro e por fora e tem jogadores fortes no um para um que podem fazer a diferença. Vamos tentar contrariar isso com concentração, empenho, entrega e a nossa qualidade. Temos as nossas hipóteses e temos de nos agarrar a elas”, vincou.

Questionado sobre a possibilidade de o Vitória de Setúbal ter menos pressão no encontro do Bonfim por não ser favorito, Sandro Mendes assume que a responsabilidade de vencer não se altera.

“A pressão é a mesma em todos os jogos. Os meus jogadores têm feito tudo para tentar ganhar. Vamos encontrar uma equipa que está a lutar pelo terceiro lugar, que se assumiu como candidata ao título, tem jogadores de qualidade e está a fazer uma excelente época, mas isso não nos tira responsabilidade”, disse.

O treinador dos setubalenses admite que o facto de não vencerem há 14 jornadas [sete com Sandro Mendes e sete com Lito Vidigal] tem um impacto negativo na equipa, que até já poderia, em várias ocasiões, ter quebrado o jejum de triunfos.

“Se analisarmos os jogos um a um, desde que aqui estou, podíamos ter vencido quase todos. Tivemos oportunidades perto do fim para marcar. Se estivéssemos noutra posição, com mais tranquilidade, possivelmente podíamos tê-lo feito. No entanto, não vivemos de ‘ses’, a verdade é que tem faltado algo e todos os dias trabalhamos para melhorar o que tem faltado”, vincou.

Apesar do momento atual, Sandro Mendes voltou a elogiar o grupo de trabalho que lidera desde 25 de janeiro de 2019.

“Os jogadores têm sido incríveis e tido uma entrega excelente. Dentro do campo têm feito tudo para ganhar, infelizmente já há uma série de jogos que não o conseguimos, mas não vamos baixar os braços. Estamos há muitos jogos sem ganhar e ainda dependemos só de nós e é a isso que temos de nos agarrar”, referiu.

O treinador do Vitória de Setúbal sublinhou a importância de os adeptos comparecerem em número elevado no sábado no Estádio do Bonfim.

“Só temos de agradecer o apoio que nos têm dado, principalmente nos últimos dois jogos que fizemos em casa, com o Vitória de Guimarães e Tondela. Não nos podemos queixar de falta de apoio. Pedimos que nos continuem a apoiar porque com eles somos mais fortes, de certeza absoluta”, finalizou.

Frente aos bracarenses Sporting de Braga, o Vitória de Setúbal não pode também contar com os contributos de André Pedrosa e Alex Freitas, ambos lesionados.

Vitória de Setúbal, 15.º classificado, com 25 pontos, e Sporting de Braga, terceiro com 55, defrontam-se sábado, a partir das 15h30 horas, no Estádio do Bonfim, em Setúbal, em partida da 26.ª jornada da I Liga de futebol.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)