Salão de Xangai

Nio ET Sedan. Chineses não perdem uma oportunidade

Depois de conquistar o respeito do mercado com os recordes do EP9, a Nio concentra-se em alargar a sua gama de eléctricos. Aos SUV ES6 e ES8, junta-se agora uma berlina tipo A5 Sportback. Mas não só.

A Nio deu nas vistas com o EP9, um superdesportivo eléctrico que coleccionou recordes, de Nürburgring  ao Circuito das Américas. Mas depois desta “estreia” na guerra dos eléctricos, a startup chinesa focou-se em conceber produtos mais acessíveis que, simultaneamente, conseguem rivalizar em desempenho com as melhores propostas da Tesla. E a prova que a Nio é tida, na actualidade, como um dos fabricantes de eléctricos com maior potencial é que o segundo maior investidor da Tesla decidiu também “colocar alguns ovos” neste cesto

A marca chinesa fez questão de mostrar em casa, no Salão de Xangai, que não perde uma oportunidade de explorar o filão dos eléctricos, apresentando não uma, não duas, mas três novidades. No stand, ao lado dos já conhecidos ES8 e ES6, surge o ET Sedan, ainda um protótipo, mas cuja versão de produção não deverá sofrer alterações substanciais. Trata-se de uma berlina de estética moderna e minimalista, que se destaca por perseguir um look mais desportivo, ao adoptar uma linha de tejadilho vincadamente descendente rumo à traseira, um pouco à semelhança da solução da Audi com o A5 Sportback ou da Volkswagen para o Arteon.

A impulsionar o sedan chinês encontra-se uma combinação entre motores de indução (atrás) e um motor eléctrico de ímanes permanentes, à frente, que debita quase 300 cv. Em concreto, a potência anunciada é de 295 cv (220 kW), sendo alimentada por uma bateria de níquel-cobalto-manganês (NCM811, ou seja, oito partes de níquel, uma de cobalto e outra de manganês) de elevada densidade energética (pela elevada quantidade de níquel), com a marca a prometer 510 km de autonomia. É certo que o valor anunciado obedece a um protocolo desactualizado (o antigo ciclo de medição europeu de medição de consumos e emissões), mas 500 km em NEDC corresponderão, no mínimo, a 375 km segundo o método WLTP. Portanto, o interesse desta proposta residirá, sobretudo, no preço. E se a lógica continuar a ser a que foi aplicada ao ES8 e ao ES6, é de esperar valores competitivos. Ora, isto aliado a uma imagem apelativa e a uma potência interessante parece ser uma receita “condenada” ao sucesso…

Mas as novidades da Nio não se esgotam no alargamento da gama. Em Xangai, a marca apresentou a sua própria estação de carga rápida (DC). Trata-se de um sistema expansível até oito postos de carregamento, sendo que seis carregam a 300 kW e dois a uma potência superior a 120 kW. A terceira novidade é que a electricidade fornecida nestes pontos de carga será grátis para os clientes da marca, à semelhança da estratégia da Tesla no arranque, mas os condutores de veículos eléctricos de outras marcas também poderão aí “abastecer”. Para tal, a empresa desenvolveu a app Nio Charging. Esta oferta vem complementar as estações para efectuar a troca de baterias:

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)