José Sócrates não gosta de Sérgio Moro nem de Carlos Alexandre, mas há um juiz envolvido no Processo Marquês que diz “respeitar” e considerar “independente”: Ivo Rosa. As declarações do antigo primeiro-ministro — acusado de 31 crimes de corrupção e branqueamento e fraude fiscal — foram feitas numa entrevista de Sócrates à TVI24, ao final da tarde desta terça-feira.

O Processo Marquês ao fim de cinco anos finalmente tem um juiz. É este juiz que respeito e esta fase de instrução que quero respeitar. Pela primeira vez há um juiz independente, coisa que não houve antes”, referiu José Sócrates na TVI24.

Ao contrário de Ivo Rosa, o juiz Carlos Alexandre mereceu, mais uma vez, as mais duras críticas de José Sócrates. O antigo primeiro-ministro entende que Carlos Alexandre atuou com parcialidade. Equiparou-o mesmo na TVI24 ao juiz brasileiro Sérgio Moro, agora ministro da Justiça de Jair Bolsonaro. Sócrates considera também que Moro só chegou a ministro por ter detido o ex-presidente brasileiro Lula da Silva.

Sócrates disse ainda acreditar que “toda a gente no governo deve ter ficado tão chocada quanto eu fiquei” com a adesão popular à palestra de Sérgio Moro em Lisboa. “Teria gostado de não ver ali o governo português representado”, admitiu, acrescentando ainda assim que “percebe” a representação institucional dado que Moro é ministro do Brasil.

O antigo primeiro-ministro queixou-se também da “reação acrítica dos jornalistas ao que um personagem, membro de um governo de um país estrangeiro”, disse na Faculdade de Direito. Disse mais: revelou “perceber bem” o que Moro quis dizer em Lisboa, “porque ele tem uma relação especial que manteve enquanto juiz com o Ministério Público português“.