Imigração

Consulado de Portugal em São Paulo recebeu quase 2 mil pedidos de vistos até início de maio

O consulado-geral de Portugal em São Paulo, maior cidade do Brasil, recebeu desde janeiro até à primeira semana de maio 1.974 pedidos de visto de brasileiros interessados em viver em Portugal.

A maioria dos vistos são de estudantes (788) mas também há reformados e investidores a querer viver em Portugal

LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O consulado-geral de Portugal em São Paulo, maior cidade do Brasil, recebeu desde janeiro até à primeira semana de maio 1.974 pedidos de visto de brasileiros interessados em viver em Portugal, segundo dados obtidos pela Lusa.

Os números mostram que a maioria dos pedidos de vistos foi feito por estudantes (788 solicitações), seguido pelos brasileiros reformados que querem viver em Portugal (364 solicitações) e de investidores (265 solicitações).

No final do mês de março, o Governo de Portugal abriu um novo serviço para receber pedidos de visto, através de um centro de atendimento da empresa privada VFS Global, na zona oeste da cidade de São Paulo, a maior do Brasil.

Além de Portugal, a VFS Global no Brasil também presta serviços para outros 17 países como, por exemplo, o Reino Unido e o Canadá.

Paulo Nascimento, cônsul-geral de Portugal em São Paulo, disse à Lusa que a prestadora de serviços foi contratada pelo Governo português para facilitar o acesso dos cidadãos brasileiros e estrangeiros que precisam de vistos.

“Criámos um outro local onde poderão ser entregues os pedidos de vistos. A nossa preocupação é aproximarmo-nos e criar alternativas para prestação de serviços aos cidadãos requerentes. Estamos a falar de vistos e não do resto da atividade consular”, explicou.

“A ideia é que este centro de vistos preste um serviço mais próximo aos requerentes. Assim, a empresa que foi selecionada faz o recebimento dos pedidos dos vistos, que são depois encaminhados para o consulado, onde se processa e onde ocorre a análise e a decisão se os vistos podem ou não ser concedidos”, acrescentou.

Questionado pela Lusa, o cônsul-geral de São Paulo indicou que em 2019 o número de pedido de vistos mantém-se relativamente estável em relação ao ano passado.

“Os pedidos de visto seguem uma certa sazonalidade. Sabemos que a maior percentagem dos pedidos de visto [para Portugal] daqueles que vivem em São Paulo é de vistos de estudo, neste momento este grupo representa 40% dos pedidos que chegaram ao consulado”, explicou.

“Como as aulas em Portugal começam em setembro – no ensino superior -, o pico das entradas de pedidos de visto acontece entre os meses de junho e julho. Portanto, até esta data [de hoje] o número de pedidos de visto mantém-se quase idêntico ao do ano passado. Só teremos uma ideia se este número aumentou ou não no final do ano”, completou.

Paulo Nascimento também frisou que como o serviço de recebimento de pedidos de visto fora do consulado começou há pouco tempo ainda não é possível avaliar a iniciativa.

“Neste momento qualquer referência ao volume de vistos que transitam nesta prestadora de serviços é prematura pelo tempo de funcionamento. Nós ainda estamos nesta fase muito inicial e, de qualquer forma, este é um projeto que não diz respeito apenas a São Paulo. É ainda muito prematuro fazer qualquer análise do funcionamento”, afirmou.

Além de São Paulo, brasileiros que moram no estado de Minas Gerais podem fazer pedido de vistos para Portugal numa unidade da VFS Global localizada na cidade de Belo Horizonte, desde o dia 30 de abril.

Na semana passada, a entrada de pedidos de vistos para Portugal no Rio de Janeiro também passou a ser operada pela VFS-Global.

Segundo informações veiculadas no site do consulado de Portugal do Rio de Janeiro, a mudança tem o “intuito de procurar agilizar a receção e tratamento de pedidos de visto, e tendo em conta as dificuldades que se vêm verificando devido à demanda inédita (em particular, mas não apenas, no que respeita a vistos de estudo)”.

Desde o passado dia 13, “pedidos de informação, solicitação de vistos, recolha de dados biométricos e acompanhamento dos processos” passaram a ser assegurados pela empresa VFS Global, “com reconhecida experiência internacional na matéria”, refere ainda a página do consulado.

Informações divulgadas no site do consulado-geral de São Paulo, primeiro órgão a trabalhar em parceria coma a VSF Global no Brasil, indicam que o serviço terceirizado de receção de pedidos de vistos para Portugal ainda deverá ser expandido para unidades de atendimento da empresa nas cidades de Salvador e Brasília.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)