Ana Rita Cavaco garantiu esta quarta-feira um novo mandato como bastonária da Ordem dos Enfermeiros. Em comunicado, a Ordem diz que a reeleição foi feita com a maior votação de sempre em eleições, o que correspondeu à triplicação do número de votos em relação às últimas eleições.

De acordo com os dados divulgados , votaram 27692 enfermeiros, dos quais 18930 votaram na lista da actual Bastonária. Entre os mais de 70 mil inscritos aptos a votar, a participação foi de 39%, a maior de sempre. Em 2015 Ana Rita Cavaco tinha sido eleita com 4509 votos, o que significa que mais do que quadriplicou a sua votação. As eleições foram disputadas por mais uma lista que concorria ao cargo de bastonária, para além de listas para os Açores e Madeira.

“Esta é uma vitória dos Enfermeiros. Com esta votação, os Enfermeiros quiseram mostrar que são eles que mandam na sua casa e que não fogem às suas responsabilidades. É por eles e pelo País que continuamos aqui. Para trás nunca mais”, afirmou Ana Rita Cavaco. A bastonária foi eleita pela primeira vez em 2016 e no seu primeiro mandato endureceu a posição dos enfermeiros face ao Governo, nomeadamente a exigir o reconhecimento da carreira de especialista com correspondência no nível de remunerações. Exerce um “tipo de liderança” que os enfermeiros querem continuar a ter, sublinhou em declarações à Rádio Observador em que considerou esta “a maior votação da história dos enfermeiros” como se pode ouvir aqui no noticiário da meia-noite.

A bastonária chegou a ser acusada de estar a promover o movimento que levou à realização de duas greve cirúrgicas de várias semanas nos principais hospitais do país, e que foi financiado com o recurso a crowdfunding. A Ordem dos Enfermeiros foi ainda objeto de uma sindicância por parte da Inspeção-Geral do Ministério das Saúde.

A recondução de Ana Rita Cavaco e a votação expressiva que recolheu reforçam a sua posição no braço de ferro que tem mantido com a ministra da Saúde, Marta Temido.