Na hora de comer, nem todos os miúdos o fazem com gáudio e vontade. E é aí que entra a imaginação dos pais e educadores. Se antigamente o “aviãozinho” era a técnica mais usada, hoje em dia, foi substituído pelo tablet ou smartphone. Se juntarmos à reunião familiar, uma atividade como a leitura em conjunto, talvez tenhamos uma solução vencedora para aqueles casos mais desafiantes de “Joanas que não querem comer a papa”.

Leituras em família

Promover a leitura – qualquer que seja o local ou ocasião – é sempre uma boa ideia. Dawna Duff, investigadora americana da Universidade de Iowa, publicou em 2015 um estudo que concluía que, entre outras vantagens, a leitura enriquece o vocabulário e a linguagem. Além disso, alarga o conhecimento que temos do mundo, ao tomarmos contacto com outras culturas e realidades, o que favorece o auto-conhecimento e promove a empatia, levando-nos a compreender melhor os outros. Por outro lado, quem já o fez sabe que é verdade: ler em conjunto é divertido e reforça o prazer do convívio. Por vezes, na correria dos nossos dias, esquecemo-nos de como é bom estarmos juntos. A leitura ajuda, por vezes, a quebrar o gelo, a ultrapassar obstáculos à comunicação entre pais e filhos, fortalece os laços entre as crianças e os adultos que lhes leem e torna-as mais calmas, ajudando na aquisição de autonomia, autoconfiança e poder de decisão. É disso que fala Catarina Beato – autora do blogue “Dias de uma princesa” – no vídeo que acompanha este texto. Relata a forma como a leitura a acompanhou ao longo do seu crescimento e de que forma tenta passar aos seus filhos esse amor pelos livros e pelos mundos por onde eles nos levam. Sendo que, reconhece, não há melhor forma de passar esse amor, do que continuando a vivê-lo, lendo ao pé das crianças e falando de tudo o que essa experiência nos traz.

Viagens no tempo

Foi a pensar precisamente em todas as vantagens que a leitura traz às famílias, que a McDonald’s Portugal introduziu, na compra de um Happy Meal, a oferta de um livro exclusivo, em alternativa ao brinquedo, num total de 12 volumes que levam os leitores em viagens ao tempo dos dinossauros. As “Aventuras dos Gémeos Treetop” (Alfie e Asha e Tulip e Ted), da escritora britânica Cressida Cowell – autora do best-seller “Como Treinares o teu Dragão” – disponíveis em www.happystudio.com, que disponibiliza conteúdos digitais e interativos. Até ao final do ano, contam disponibilizar mais de um milhão de livros desta coleção.

Happy Meal em Portugal

Mostrar Esconder

1991 — Happy Meal chega a Portugal;

2008 — São introduzidos os “Douradinhos”; maior oferta de frutas e vegetais;

2010 — Maior variedade nas receitas de sopa;

2013 — Lançamento da oferta de livros digitais e interativos;

2014-2016 — Com o apoio do PNL (Plano Nacional de Leitura) é lançada a Happy Van — biblioteca móvel que levou o projeto Happy Meal Readers a todo o país;

2015 — Lançamento do livro “Mistério no Pavilhão de Portugal, de Maria Inês Almeida; são criadas as “Noites Happy Meal Readers”, que permitem às crianças acampar na Estufa Fria durante a Feira do Livro de Lisboa;

2016 — Lançamento do livro “O Dragão”, de Luísa Ducla Soares;

2017 — Lançamento da revista “Happy Kids”, distribuída gratuitamente;

2019 — Lançamento da coleção ““Aventuras dos Gémeos Treetop”, de Cressida Cowell.

Esta foi uma das formas de celebrar o 40.º aniversário do Happy Meal, um produto ícone da McDonald’s, lançado em 1979 nos Estados Unidos, e que está hoje presente em mais de 100 países. Tem sofrido algumas alterações, sempre no caminho de promover uma refeição equilibrada e variada: introduzindo maior variedade de sopas, frutas e vegetais, adicionando a opção de água e até reduzindo o açúcar, a gordura e o sal nas suas receitas. Este produto continua a evoluir, mas a capacidade de surpreender mantém-se. “Aquele momento em que abrimos a caixa Happy Meal para espreitar o que há lá dentro, é uma experiência que interliga várias gerações”, diz Sérgio Leal, diretor de Marketing e Comunicação da marca em Portugal. E, a julgar pela habilidade de Cressida Cowell estimular a nossa imaginação, essa ligação vai continuar.