O Instagram anunciou esta quarta-feira que vai proibir que os utilizadores publiquem conteúdo patrocinado alusivo a tabaco, cigarros eletrónicos, bebidas alcoólicas, produtos dietéticos e armas na rede social.

“Conteúdo patrocinado que promova bens como vaping, produtos de tabaco ou armas não vai ser permitido. Há muito tempo que as nossas políticas de publicidade proíbem a publicidade a esses produtos e vamos começar a forçar o seu cumprimento nas próximas semanas”, escreve a rede social no seu blogue.

Dietas “milagrosas” e cirurgias estéticas para venda? No Instagram e Facebook não vão aparecer

A publicidade a produtos alcoólicos e suplementos dietéticos através de publicações pagas vai contar ainda com algumas  medidas especiais, que só serão tornadas públicas pelo Instagram no decorrer do próximo ano. O Instagram está a trabalhar em novas funcionalidades que permitam, por exemplo, aplicar restrições de visualização a anúncios consoante a idade dos utilizadores.

Nos Estados Unidos, já morreram 47 pessoas de consequências associadas ao uso dos cigarros eletrónicos. Em Portugal, a Direção-Geral de Saúde desaconselha o uso depois de terem sido provadas ligações entre os cigarros eletrónicos e vários tipos de cancro. No estado norte-americano do Michigan, a governadora Gretchen Whitmer decretou em setembro a proibição de venda destes produtos, acusando as empresas de publicidade enganosa para aumentar a dependência de nicotina entre as crianças.

Sexta morte provocada por cigarros eletrónicos confirmada nos Estados Unidos

Em setembro, a gestora de políticas públicas do Instagram, Emma Collins, anunciou ao jornal inglês The Guardian que a rede social ia banir a promoção de suplementos dietéticos, porque a empresa queria “que o Instagram fosse um sítio positivo para todos os seus utilizadores”.

O comunicado traz mais novidades: vai estar disponível uma ferramenta que apenas existia no Facebook, a Facebook’s Brand Collabs Manager, atribuída “a um grupo selecionado de criadores de conteúdo” que “vão estar habilitados a partilhar as informações de interação das suas publicações com marcas e encontrar parceiros que possam ter impacto no seu público”.

Ou seja, vai ser possível partilhar detalhes como quantos anos têm, de que género e onde estão as pessoas que fazem gosto nas publicações. A medida destina-se a facilitar a relação entre os produtores de conteúdo e as marcas, que antes trocavam capturas de ecrã com estes mesmos dados. A mesma ferramenta permite ainda fazer o cruzamento entre os produtores de conteúdo e as marcas que procurem parcerias.

A publicação no blogue oficial do Instagram acrescenta ainda que a rede social “vai investir ainda mais recursos em 2020 para ajudar [os criadores de conteúdo pago] a construirem o seu negócio”.