O PS de Fiães revelou esta sexta-feira ter apresentado queixa ao Ministério Público (MP) contra a junta dessa freguesia de Santa Maria da Feira, no distrito de Aveiro, por, alegadamente, enterrar mortos de famílias diferentes na mesma campa de cemitério.

Segundo documento, a que a Lusa teve acesso, estão em causa dois enterros na mesma faixa de terreno “num espaço de 11 dias”, o que os socialistas de Fiães consideram “injustificável” e dizem demonstrar “a incapacidade política e falta de sensibilidade humana” do atual Executivo da Junta, liderada pelo PSD.

Referindo “fortes indícios de que o presidente Valdemar Ribeiro e o seu Executivo posam ter cometido uma ilegalidade ou até um crime”, o PS avisa que, caso o MP confirme a responsabilização penal da Junta, a estrutura socialista “exigirá fortes consequências políticas ao Executivo PSD, como a sua demissão”.

Para o PS, a falta de espaço no cemitério não é justificação para sepultar duas pessoas de famílias distintas no mesmo local, com o que isso envolve de choque emocional para os respetivos parentes e amigos, uma vez que nesse equipamento religioso “existem outras campas disponíveis com sepultados há nove, 10 e 20 anos”.

A tratar-se de um decisão de mera gestão, então a interpretação do PS é que a junta de freguesia de Fiães revela ainda mais “insensibilidade” para com um procedimento que deveria implicar “respeito por ambas as famílias em luto”.

A Lusa procurou ouvir o wxecutivo da Junta de Freguesia de Fiães e o presidente dessa Junta, Valdemar Ribeiro, mas tal não foi possível até ao momento.

A Lusa questionou ainda a Procuradoria-Geral da República sobre a denúncia apresentada pelo PS, mas essa ainda não indicou em que fase se encontra o processo.