Depois da Porto Editora, Leya e Penguin Random House terem confirmado a suspensão da publicação de novos títulos até que o mercado editorial e livreiro, afetado pela pandemia de Covid-19, normalize, outras editoras portuguesas anunciaram a mesma medida. Esta sexta-feira, a Relógio d’Água e a Saída de Emergência revelaram que também iriam deixar cair por terra os lançamentos agendados para as próximas semanas.

A edição de livros “está adiada para uma data ainda incerta”, declarou a Relógio d’Água, apontando que a Feira do Livro de Lisboa, um dos maiores eventos dedicados ao livro em Portugal, “com início previsto para finais de Maio, será também provavelmente adiada”. Apesar da suspensão e de os trabalhadores da editora terem entrado em “regime de teletrabalho”, a Relógio d’Água irá desenvolver, através do seu site e do Facebook, “iniciativas que  permitam aos autores manter contacto com os leitores, e a estes acompanhar a atividade da editora”.

Grupos editoriais portugueses suspendem publicação de novos títulos

“Neste período em que o contágio faz com que a proximidade possa surgir como um risco, esses livros e os que hão-de vir continuarão a ligar-nos aos outros. E alguns deles podem também ajudar-nos a refletir sobre o modo como a devastação do planeta e de espécies selvagens levou certos vírus a procurar habitats humanos”, referiu ainda a editora. “Desde a Antiguidade que o livro acompanha os leitores nos períodos amenos como nos tempos sombrios.”

Também a Saída de Emergência, “face ao contexto atual decorrente da pandemia do novo coronavírus”, “decidiu suspender o lançamento de todas as novidades agendadas para as próximas semanas, por tempo indeterminado”. A equipa irá, no entanto, continuar “a desenvolver o plano editorial de forma a retomar as publicações assim que existam condições para tal”.

Tanto no caso da Relógio d’Água como da Saída de Emergência, os livros continuam disponíveis para compra através do respetivos sites e livrarias online.

Editora independente E-Primatur suspende produção devido ao novo coronavírus

A Alêtheia anunciou igualmente a publicação das novidades editoriais agendadas para os próximos meses. “Retomaremos as publicações logo que a situação o permita”, informou a editora.

Além destas editoras e grupos editoriais, também a E-Primatur anunciou a suspensão de novos livros até que a situação seja controlada. Dos cerca de 15 volumes que estavam programados para os próximos meses, apenas dois têm a publicação assegurada: o terceiro volume da nova tradução de As Mil e Uma Noites e Contos e Apólogos, de Jean-Jaques Rousseau,