Dark Mode 80,2 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

Em casa com crianças? Há quem dê uma grande ajuda

Estamos quase todos em casa, porque isso é o mais responsável neste momento, mas há marcas que nunca nos falham e continuam ao nosso lado, mesmo quando a incerteza se instala. A Zippy é uma delas.

De um momento para o outro, a vida de todos ficou virada do avesso. Fechados em casa, porque é onde devemos estar, de repente vimo-nos confrontados com a necessidade de alterar rotinas, fazer diferente do que sempre fizemos e adaptarmo-nos a uma nova realidade. Sem pré-aviso, as nossas casas transformaram-se em escritórios, salas de reunião, creches, escolas, parques infantis, ginásios, ateliês, estúdios e, em muitos casos, tudo isto ao mesmo tempo. Até se transformaram em circos – pois aqui todos os dias se faz magia.

O desafio não é fácil para ninguém, todos sabemos. E podíamos ficar aqui a enumerar as razões que fazem deste um período tão complexo das nossas vidas, mas preferimos olhar para o outro lado. Optamos por direcionar a atenção para coisas que, afinal, fazem toda a diferença em momentos como este, como o facto de podermos passar mais tempo em casa com aqueles de quem mais gostamos – e tantas foram as vezes que nos queixámos que era pouco o tempo que estávamos juntos, dizendo que as crianças crescem rápido e que, quando déssemos por isso, já elas estariam na universidade. Verdade? A ajudar nesta altura difícil temos também aqueles pilares que estão sempre lá, como sempre estiveram. É o caso da Zippy, que embora tenha encerrado as suas lojas físicas, continua online ao nosso lado.

Para o provar, criou o movimento We Stay Home Together#WeStayHomeTogether – para ajudar pais e filhos nesta fase, adaptando-se ao que é realmente importante e necessário no momento presente: ficar em casa, mas com as necessidades asseguradas e garantindo que o tempo passado em família é de qualidade. De tal maneira este propósito foi integrado pela Zippy que a própria assinatura evoluiu de “we go together” para o atual “we stay home together”. Também o logótipo da marca foi alterado e agora a palavra Zippy aparece dentro de uma casa, que é onde estamos quase todos na realidade.

E porque a capacidade de improvisar, adaptar-se ao presente e solucionar problemas – em vez de complicar — faz parte do código genético da Zippy, são muitas as formas que a marca encontrou para nos apoiar neste momento:

1 – Já não sabe o que inventar para fazer com os miúdos?

Por esta altura, todos os que estamos fechados em casa com crianças já esgotámos o rol de atividades a fazer com elas. E quando o aborrecimento se instala, as birras aumentam, claro. Por isso, a Zippy decidiu ajudar, colocando no seu site e redes sociais uma sugestão diferente todos os dias. Ali encontramos algo que podemos fazer com os mais pequenos ou que eles podem fazer sozinhos, se já tiverem autonomia, para que possamos trabalhar sem interrupções ou tratar das tarefas domésticas, por exemplo. Entrando na página do #WeStayHomeTogether, vemos não só a dica do dia, como todas as anteriores. Aqui em casa, gostámos particularmente de fazer a experiência da lavagem das mãos (vejam no site, é imperdível), bem como do desafio de construir a árvore genealógica, jogar às escondidas, celebrar o planeta num acampamento e ainda nos divertimos a fazer heróis com rolos de papel higiénico.

Além das dicas, contamos ainda com diretos no Instagram às segundas, quartas e sextas-feiras com leitura e interpretação de contos, sessões de ginástica e ainda aulas de trabalhos manuais.

2 – Um poster com 15 ideias: uma para cada dia

Como complemento às dicas partilhadas nos canais digitais, a Zippy disponibiliza ainda um poster com 15 sugestões de atividades para fazer com a família durante este período. O poster é o que vê a ilustrar este artigo, mas pode também descarregá-lo aqui, imprimindo-o para colocar num sítio bem visível da casa. Ao mesmo tempo, a Zippy continua a partilhar, todos os dias, novas dicas, para que nunca falte o que fazer.

3 – Partilhar é inspirar e sorrir (muito)

E se partilharmos todas as dicas da Zippy que pusermos em prática com a hashtag #WeStayHomeTogether? O resultado será uma enorme comunidade de famílias – que se inspiram umas às outras – todas interligadas com o propósito de tornar estes dias numa enorme experiência de apoio, alegria e criatividade. Faça parte do movimento e fotografe o resultado das dicas da Zippy ou de outras que tenha posto em prática, e partilhe nas redes sociais com a hashtag #WeStayHomeTogether. Faça parte desta comunidade que se une para fazer do momento presente um momento com significado e muitos sorrisos. Divirta-se!

4 – Comprar online com envios grátis

Não sabemos durante quanto mais tempo vamos ficar fechados em casa e o mais provável é que, entretanto, seja necessário comprar roupa aos mais novos. Eles crescem todos os dias e os básicos de que dispúnhamos já estão a ficar pequenos ou são insuficientes. Nunca como agora foi tão importante vesti-los com peças confortáveis, versáteis e fáceis de vestir, de lavar (este ponto é de grande importância por estes dias) e de conjugar também, porque não é pelo facto de estarmos em casa que perdemos a criatividade ou a vontade de nos sentirmos bonitos. Para dar resposta a esta necessidade, a Zippy tem aberta a sua loja online com entregas grátis em todas as encomendas. Além disso, alargou o prazo de devoluções para 60 dias. Para conhecer em primeira mão as ofertas e promoções especialmente pensadas para as necessidades deste momento, o melhor é subscrever a newsletter na página da marca.

5 – Grávidas e recém-nascidos: ninguém é esquecido

A gravidez é e será sempre aquele estado de alegria imensa e claro que as grávidas continuam a precisar de cuidados. Além disso, é necessário preparar a chegada do bebé. A Zippy leva a sua missão muito a sério e não descura o apoio nesta etapa da vida, disponibilizando online tudo o que é necessário, não só para a mala da maternidade como para o pré e pós-parto. A área de puericultura da loja online é vasta e inclui desde mobiliário a cadeirinhas, têxtil, amamentação, higiene e tudo o que pode ser necessário nesta fase, incluindo o vestuário para o recém-nascido. Além disso, e porque a Zippy não quer que falte mesmo nada, criou o movimento #ZYTodayIWant. As grávidas só têm de publicar com esta hashtag algo que querem muito ou precisam e não têm em casa, de maneira a que quem esteja por perto possa ajudar. Pipocas, por exemplo! E com certeza que um amigo arranjará uma solução para que chegue a sua casa. Além disso, e para que não haja dúvidas, no site da Zippy existe um chat para esclarecer todas as dúvidas dos recém-papás.

“Vamos permitir-nos sentir”

A par do movimento #WeStayHomeTogether, a Zippy (que também está a trabalhar em casa, como muitos portugueses) lançou uma carta aberta a todas as famílias, em parceria com a psicóloga Patrícia Fernandes (conhecida como Slow.Mãe), na qual fala de forma aberta e genuína sobre a nova realidade que todos vivemos. “As nossas casas estão agora cheias e, verdade seja dita, um pouco caóticas. Há trabalho misturado com brinquedos espalhados, tarefas domésticas entre pinturas e livros e algum aborrecimento”, lê-se na carta, em que se admite que “oscilamos entre o viver devagar e alguma angústia, preocupação e tempo livre para brincar”. Todavia, e tendo em conta que este é um “tempo de grandes emoções para adultos e crianças” a proposta é que mudemos o foco do “vou conseguir fazer tudo perfeito” para o “vou lidar com tudo o melhor que conseguir”.

“Vamos permitir-nos sentir, partilhar, rir e chorar, ouvir e ser ouvidos”, sublinham, lembrando que “não temos de ter uma atividade preparada, um estímulo para seguir, algo para fazer, por mais que essa informação nos chegue por todas as vias”. Até porque o importante é “respeitar o ritmo e as necessidades da família. Isso é viver devagar”. “Porque, afinal, são os pequenos momentos que carregam detalhes preciosos. E se esta época nos veio ensinar algo é que há um caminho bonito nos momentos mais simples, desde que recheados de amor e conexão”, concluem. Por isso, o conselho só pode ser um: viver um dia de cada vez, mas em pleno.

Este é um conteúdo Observamos em casa.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.