A cadeia de televisão norte-americana Fox News pediu desculpa esta terça-feira por ter eliminado o Presidente Donald Trump de uma foto em que este aparecia junto ao milionário Jeffrey Epstein e a Ghislaine Maxwell, detida esta semana por suspeitas de envolvimento na alegada rede sexual de menores que geria com Epstein.

Donald e Melania Trump foram fotografados no seu resort de Mar-a-Lago na Flórida, junto de Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell, a 12 de fevereiro de 2000. A foto foi exibida este domingo numa emissão da Fox News, mas o Presidente foi retirado da imagem.

“No dia 5 de julho, uma reportagem sobre Ghislaine Maxwell durante o programa Fox News Channel’s America’s News HQ eliminou acidentalmente o Presidente Donald Trump da foto onde também figuravam Melania, Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell” disse a Fox News em comunicado. O porta-voz da cadeia de televisão acrescentou ainda a frase: “Arrependemo-nos do erro”.

O comunicado levou a que Eric Trump, um dos filhos do Presidente norte-americano, fizesse um tweet com uma foto de Ghislaine Maxwell no casamento de Chelsea Clinton, filha de Bill Clinton e de Hillary Clinton, ex-rival de Donald Trumo nas presidenciais de 2016.

Em reação ao tweet de Eric Trump, vários utilizadores do Twitter publicaram fotos de Donald Trump com Epstein, assim como outras imagens do Presidente norte-americano junto de figuras controversas dos Estados Unidos da América. Momentos depois, Eric Trump eliminou o seu tweet.

Algumas das pessoas que observaram o momento na plataforma Twitter também partilharam fotografias pertencentes a um perfil de Donald Trump elaborado pela New Yorker, em 1997, onde Eric Trump, na altura com 13 anos de idade, se encontrava num jato privado do pai, acompanhado também por Ghislaine Maxwell. “Eric Trump, que anteriormente fez um tweet acerca de Bill Clinton e Ghislaine Maxwell, estava literalmente no jato privado do seu pai acompanhado pela mesma”, escreveu o jornalista Mehdi Hasan.

Jeffrey Epstein, um empresário com ligações a Donald Trump, Bill Clinton e ao príncipe André, suicidou-se na prisão no ano passado, enquanto aguardava julgamento por acusações de tráfico sexual. Já Ghislaine Maxwell foi detida a semana passada pelo seu alegado papel de recrutamento, aliciamento e abuso sexual a raparigas, menores de idade, juntamente com Epstein. O caso deu origem a uma série da Netflix, denominada Jeffrey Epstein: Podre de rico.