A depressão tropical Dezoito, que desde segunda-feira se aproxima do arquipélago de Cabo Verde, transformou-se em tempestade tropical Rene, com mais vento e mais chuvas, sobretudo nas ilhas a norte, anunciou a Proteção Civil.

“O tempo no arquipélago de Cabo Verde está sob a influência de uma depressão tropical que agora evoluiu para tempestade tropical Rene, e cuja formação está associada a um centro de baixas pressões proveniente da costa ocidental africana na direção Oeste/Noroeste”, divulgou o Serviço Nacional da Proteção Civil e Bombeiros (SNPCB), em comunicado.

Segundo a mesma fonte, para as próximas horas, prevê-se o agravamento das condições atmosféricas, com intensificação do vento e precipitação, assim como o aumento da ondulação marítima, com maior incidência para os grupos das ilhas do Orientais/Ocidentais do Barlavento — São Vicente/São Nicolau/Boa Vista/Sal.

Face à evolução da situação, a Proteção Civil cabo-verdiana apelou a toda a população, particularmente às pessoas que vivem em zonas de maior risco de cheias e inundações, a adotarem algumas medidas de autoproteção.

São elas desobstrução e desassoreamento de linhas de água, principalmente junto às habitações, aquedutos e outros pontos de estrangulamento de água, e verificação de eventuais situações de deslizamento de terrenos, derrocadas de blocos de rochas ou muros nas imediações das casas, nas estradas e vias de acesso ao interior das ilhas.

A proteção civil deixou ainda algumas recomendações, como, por exemplo, afastar das zonas de cheias e inundações, não tocar em cabos elétricos caídos e nem postes de energia elétrica, sob pena de sofrer a eletrocussão e manter limpo os sistemas de drenagem e consolidação de telhados, portas e janelas.

Também recomendou às pessoas a não propagarem rumores falsos ou informações exageradas sobre a situação e a não ocuparem as linhas de telefone, cujas linhas de emergência devem ser usadas somente em caso de extrema urgência e necessidade.

O Instituto Marítimo e Portuário (IMP), que indicou que a depressão tropical se formava a 200 milhas náuticas do arquipélago, interditou a saída para o mar das embarcações de pesca local e recreio, botes e pequenas embarcações de boca aberta.

A autoridade marítima recomendou ainda aos banhistas redobrada atenção às sinalizações das bandeiras e que sejam respeitadas as instruções e orientações das autoridades, enquanto se mantiverem estas condições meteorológicas.

Por sua vez, a Câmara Municipal da Praia recomendou às pessoas a ficarem em casa, fecharem bem as portas e janelas, guardarem objetos que possam ser arremessados pelo vento e evitarem ficar próximo de locais de possível deslizamento de terras.

“Ainda aconselhamos a não estacionar carros debaixo de árvores de grande porte ou próximo de postes de luz”, recomendou ainda a autarquia da Praia.

Na segunda-feira, o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) deu conta de que uma depressão tropical se aproximava do arquipélago de Cabo Verde, com ventos e chuvas fortes até hoje, e poderia transformar-se em tempestade, mais a oeste do país.

“Espera-se intensificação gradual dos ventos, com velocidades que podem atingir 30 nós, aproximadamente 60 km/hora, e rajadas de 40 nós, aproximadamente 80 km/hora, acompanhado de ocorrência de precipitação de intensidade variável e o aumento da agitação marítima, a Norte/Nordeste”, precisou o instituto.

A autoridade nacional nos domínios da meteorologia, climatologia e da geofísica alertou que todo o arquipélago estará sob influência do sistema, sendo as ilhas a norte as mais afetadas.

O INMG disse esperar que a partir das 18h00 desta terça-feira o sistema já esteja a afastar-se da ilha de Santo Antão, a mais a norte do arquipélago.