A competição de aplicações desenvolvidas por jovens Apps For Good premiou este ano projetos para ajudar na redução do plástico e nas idas à praia em tempo de pandemia de Covid-19.

A final da 6.ª edição decorreu na quinta-feira, na Fundação Calouste Gulbenkian e o primeiro prémio das duas principais categorias foi para a Escola Secundaria Doutor Serafim Leite, de São João da Madeira, e para Escola Básica São Levante da Maia.

Foi da Doutor Serafim Leite que saiu a aplicação “SandSpace”, o projeto vencedor a pensar no atual contexto de pandemia, que permite partilhar informação sobre os níveis de ocupação do areal em 685 praias marítimas e fluviais de todo o país.

Já no ensino básico, a aplicação “Plastic Free World”, que levou o primeiro lugar nesta categoria, pretende ajudar as pessoas na redução do plástico, através da disponibilização de dicas e conselhos.

Além do primeiro lugar, as duas escolas receberam outros prémios: os criadores da “SandSpace” levaram para São João da Madeira o Prémio Tecnológico e a ‘Plastic Free World’ recebeu o Prémio do Público.

Na 6.ª edição daquela que é, segundo a organização, a maior competição nacional de aplicações criadas por jovens para resolver problemas sociais, participaram 20 equipas, selecionadas nos dois encontros regionais, que decorreram durante o mês de julho em formato online devido à Covid-19.

Na categoria do ensino secundário, a Apps For Good distinguiu ainda duas outras equipas que desenvolveram aplicações dedicadas à entrega de encomendas e ao apoio da toxicodependência e do alcoolismo.

No básico, o segundo lugar foi atribuído a uma aplicação para eliminar o problema dos dejetos dos animais através de pontos de recolha e o terceiro lugar a uma ferramenta que permite substituir o cartão escolar físico pelo telemóvel.

O Apps For Good foi lançado pelo Centro de Inclusão Digital em Portugal com o objetivo de promover a utilização da tecnologia para resolver problemas do dia-a-dia, através do desenvolvimento de aplicações móveis.

Na última edição da competição, foram também entregues outros prémios, além das categorias principais.

O Prémio Cooler Planet, apoiado pelo BNP Paribas, foi entregue à app “ReAPP”, que pretende combater o desperdício e a redução dos resíduos sólidos urbanos, e o Prémio Future Up, apoiado pelo Movimento Social e Educativo da Fundação GALP, foi para a aplicação “BOW”, da que permite regular e limitar o consumo diário de água num chuveiro, reduzindo o consumo de energia.