Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já arrancou a votação da categoria mais disputada na edição de 2021 dos Prémios Auto Observador. Até 28 de Fevereiro, os nossos leitores e ouvintes são chamados a eleger, entre 19 concorrentes a concurso, que novo modelo consideram que deve ganhar, para opções balizadas entre os 30.000€ os 37.000€. O seu voto pode valer um prémio, mas a escolha deverá ser bem ponderada, pois esta 3.ª categoria de galardões não só é a mais numerosa, em termos de candidatos, como é também das mais díspares, em termos de carroçarias e mecânicas.

A votos estão modelos de vocação mais desportiva, outros mais radicais – em estética ou em atributos para incursões fora de estrada -, bem como propostas que se destacam pela versatilidade e pela vocação mais familiar. Significa isto que esta faixa de preços será altamente indicativa da apetência dos consumidores, determinando se preferem desportivos civilizados, como o BMW Série 2 Gran Coupé ou o Toyota Corolla GR Sport (hatchback); ou se privilegiam carrinhas com espaço para as mais diferentes actividades da família, caso do Seat Leon Sportstourer, do Suzuki Swace e do Toyota Corolla Touring Sports. Em alternativa, há ainda uma radical pick-up, a Mitsubishi L-200, e cinco modelos 100% eléctricos, nomeadamente o Honda e, o Mazda MX-30, o Mini Cooper SE, o Opel Corsa-e e o Peugeot e-2008. Porém, o domínio da oferta vai (como seria de esperar) para os SUV ou para declinações mais aventureiras, como acontece com o Honda Crosstar, o Jazz com um look de crossover. Entre os SUV, a Peugeot faz-se representar pelo 3008 e pelo 5008, enquanto a Volkswagen concorre com a versão descapotável do T-Roc. O primeiro modelo projectado de raiz pela Cupra, o Cupra Formentor, um SUV coupé com vocação assumidamente desportiva também entra nesta contenda, em que a Seat concorre com o Tarraco e a Ford entra na disputa com o Kuga. Espaço ainda para uma berlina alemã, o Opel Insignia Grand Sport.

Cabe-lhe a si contribuir com o seu voto para a eleição daquele que considera ser o melhor modelo nesta categoria. No processo, habilita-se a ganhar um automóvel novo, no valor de 18.450€.

A votação divide-se em duas fases. Na primeira, cada votante pode dizer de sua justiça, mas apenas uma vez por categoria, com um voto semanal. Na segunda etapa, 2000 participantes que serão selecionados aleatoriamente passam para a votação final, altura em que são desafiados a acertar no carro vencedor de cada categoria, de entre os dois modelos mais votados. Quem mais acertar ganha um Toyota Yaris 1.5 Hybrid Dynamic Force Comfort ou outro Toyota de valor equivalente. Recorde-se que a rapidez no voto também pode ser determinante, na medida em que o tempo constitui um critério de desempate, se for caso disso (consulte o regulamento).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nesta edição dos Prémios Auto Observador há 27 marcas a competir e um total de 70 modelos a concurso, seleccionados por se tratarem de novidades absolutas ou profundos restylings introduzidos no mercado em 2020.

Na primeira categoria sujeita a escrutínio, reservada a modelos de até 23.000€, a votação consagrou como finalistas o Peugeot 2008 e o Toyota Yaris, enquanto a segunda categoria, de 23.000€ a 30.000€, apurou o Audi A3 Sportback e o Citroën C4. Quem terá triunfado? Continue a participar e a acompanhar esta iniciativa do Observador aqui.

Pisca Pisca.ptCredibomVerizon Connect e Kinto apoiam os Prémios Auto Observador 2021, iniciativa cujo prémio atribuído ao leitor vencedor conta com o patrocínio da Toyota.