Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É a primeira vez que Meghan Markle se deixa entrevistar num registo de talk show, com a amiga e apresentadora Ellen DeGeneres a conduzir as perguntas — é também a primeira conversa televisiva desde as revelações que ela e o marido fizeram a Oprah Winfrey, em março último, cujo abalo na monarquia britânica ainda hoje se faz sentir.

Na entrevista, a duquesa levantou um pouco o véu sobre a vida que os Sussex têm levado em Montecito, para onde se mudaram depois de terem abandonado os cargos enquanto membros sénior da realeza. “Nós mudámo-nos durante o confinamento, mesmo quando as coisas estavam a fechar, pelo que temos conseguido passar muito tempo em casa e a criar a nossa casa”, disse, revelando que ela e Harry estão “felizes”. Garantiu ainda que o marido “adora” a Califórnia.

Desviando o foco para os filhos — Archie tem dois anos e Lilibet nasceu este verão —, esclarece que o primogénito “adora ser um irmão mais velho” e que, surpreendentemente, as crianças não são grandes fãs do Halloween — “O Archie foi um dinossauro durante, talvez, cinco minutos”, brincou. Mais adeptos serão os pais, com Meghan a revelar que ainda antes do namoro com Harry ser conhecido, o casal participou, juntamente com a princesa Eugenie e o agora marido Jack Brooksbank, numa festa em Toronto, no Canadá. O tema era “pós-apocalíptico”, as roupas usadas “bizarras” e a noite “divertida”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Falando agora de uma fase da vida ainda sem o príncipe Harry em cena, a duquesa comentou como visitava assiduamente os estúdios da Warner Bros para participar em audições para diferentes papéis — e, de todas as vezes, os seguranças à entrada desejavam-lhe sorte: “Parte uma perna!”. O que, muito provavelmente, “diziam a toda a gente”.

A duquesa descreveu ainda o Ford Explorer Sport temperamental que chegou a conduzir e que “tinha vida própria”: como a chave do lado do condutor não funcionava, Meghan era obrigada a sair pelo porta bagagens. Era assim que entrava e saia do carro, depois de “rastejar” por todos os assentos do veículo.

Comer como um esquilo e entoar cânticos em público

A participação da duquesa no The Ellen DeGeneres Show não se resumiu a uma conversa animada, com a duquesa a alinhar numa partida orquestrada por Ellen. À semelhança do que já aconteceu com outras celebridades, Meghan ficou incumbida de dizer perante três vendedores de rua apenas as palavras proferidas à distância por Ellen. A apresentadora acompanhou tudo o que se passou nas imediações do estúdio da Warner Bros através de um auricular invisível.

“Toca no cotovelo se me consegues ouvir. Toca no nariz se me consegues ouvir. Agora, agacha-te”, pede Ellen a certa altura, tal como se vê no vídeo entretanto disponibilizado na conta de Youtube do programa norte-americano. A duquesa ainda deixa escapar um suspiro antes de se baixar. Mas é a coisa menos estranha que faz durante a partida.

Meghan chega a afirmar, sempre a pedido da apresentadora, que tem “poderes curativos” e a perguntar a um dos vendedores se este é capaz de “sentir” os seus poderes para, depois, meditar em plena rua. “Vamos ficar em silêncio durante alguns segundos”, diz ao mesmo tempo que fecha os olhos. A duquesa pega ainda num dos cristais disponíveis na banca diante de si, encostando-o à cabeça — começa, depois, a cantarolar uma espécie de cântico tribal.

Na banca seguinte, onde vários tipos de picantes estão para venda, Meghan salta em excitação antes de provar um dos produtos — “Mal posso esperar”, chega a atirar — e come uma batata frita como se fosse “um esquilo”, sempre a pedido de Ellen. Posteriormente, bebe leite de um biberão deixado por Ellen na mala que carrega, fala de boca cheia e canta ao mesmo tempo que faz gestos alusivos a uma gata, numa postura a anos-luz dos procotolos reais exigidos do lado de lá do Atlântico.