Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois de terem sido detetados os primeiros sete casos da variante brasileira da SARS-CoV-2 em Portugal, a hipótese de que essa se torne a variante dominante entre os novos casos positivos não é colocada de lado. O presidente da Sociedade Brasileira de Virologia alerta que a variante detetada em dezembro, na cidade brasileira de Manaus, é “preocupante” e admite que pode vir a tornar-se dominante em solo português — isto numa altura em que é a variante britânica que domina os novos casos em Portugal.

Os mistérios de Manaus. Tem mesmo uma variante mais agressiva do vírus, perdeu a imunidade de grupo ou nunca a teve?

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.