Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

1 Na avaliação do TIMSS 2019, os resultados de Portugal justificam preocupação. Trata-se de uma avaliação internacional de referência, ao nível do mais conhecido PISA da OCDE, que monitoriza especificamente as competências dos alunos do 4º ano de escolaridade a Matemática e Ciências, de quatro em quatro anos. O que mostram os seus resultados? Que os alunos portugueses em 2019 pioraram acentuadamente face a 2015 (e 2011).

Essa pioria não é estatisticamente significativa em Ciências, mas é acentuada e indesmentível em Matemática. Em 2019, os alunos portugueses obtiveram um score médio de 525, o que representa uma queda de 16 pontos face ao alcançado em 2015 (score de 541). Este não se apresenta apenas como um mau resultado, que anula os bons desempenhos de há quatro anos. É também um resultado que coloca Portugal abaixo do nível atingido em 2011 (score de 532). Defini-lo como um retrocesso não qualifica para exagero: as expectativas de evolução de um sistema educativo é que melhore continuamente, ou pelo menos que preserve as suas conquistas. Infelizmente, os desempenhos no TIMSS 2019 alertam-nos para o passo atrás que se deu.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.