Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

1 Não é preciso ser médico ou epidemiologista para perceber que as medidas de combate ao coronavírus que o Governo de António Costa está a tomar são tardias e reativas — o pior que pode acontecer quando o crescimento dos infetados é exponencial e tem uma taxa diária de crescimento de 40,8%, como diz o matemático Jorge Buescu aqui.

Portanto, lamento, mas não posso entrar no coro de elogios ao primeiro-ministro. E muito menos ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa que, de forma completamente amadora, fez uma comunicação ao país este domingo em piores condições técnicas que um vídeo feito no YouTube pelo meu filho e os seus amigos pré-adolescentes. Oferecer ao país uma imagem desfocada e um cenário de uma espécie de escritório de professor de Direito transformado em bunker anti-coronavírus não promove a segurança e a confiança que os portugueses têm de ter mais do que nunca no Estado.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.