Logo Observador
Construção

Produção no setor da construção aumenta em 2016 na zona euro e UE

A produção média no setor da construção aumentou 1,6% na zona euro e 1,3% na União Europeia (UE) em 2016 face ao ano anterior, segundo dados divulgados pelo Eurostat.

A produção média no setor da construção aumentou 1,6% na zona euro e 1,3% na União Europeia (UE) em 2016 face ao ano anterior, segundo dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat. Este crescimento foi ainda registado em dezembro face ao mês homólogo de 2015 quando a produção no setor da construção aumentou 3,2% nos 19 países da moeda única e 1,6% nos 28 Estados-membros da UE.

Face a novembro, o indicador recuou 0,2% na zona euro e aumentou 0,6% na UE. Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, na comparação homóloga, a Suécia (11,2%), a Holanda (10,4%) e a Eslovénia (9,1%) registaram as maiores subidas, enquanto na Roménia (-26,7%), na Eslováquia (-18,5%) e na Hungria (-14,9%) se observaram os principais recuos.

Já na variação em cadeia (face ao mês anterior), os maiores recuos na produção no setor da construção verificaram-se na Roménia (-4,3%), na Eslováquia (-3,1%) e na Bulgária (-2,1%) e as maiores subidas na Suécia (4,7%), na Polónia (2,5%), na República Checa e no Reino Unido (2,2% cada). Em Portugal, o indicador cresceu 0,6% quer em termos homólogos, quer face a novembro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberdades

Mais liberalismo ou menos socialismo?

Vítor Cunha

Para galvanizar a juventude para o liberalismo não basta o "argumento da superioridade moral do individualismo": é necessário remover o incentivo para que depender do salário de Estado seja atraente.

Filosofia Política

Liberalismo, sempre!

Telmo Azevedo Fernandes
393

É necessário restaurar o espírito do Liberalismo Clássico, assumir e divulgar a superioridade moral da defesa das liberdades individuais por contraponto a qualquer das outras alternativas ideológicas.

Presidenciais em França

Macron, um Presidente sozinho

Alexandre Homem Cristo

O que há a festejar na (quase certa) eleição de Macron, na segunda volta, para além do facto de ele não ser Le Pen? Nada. Ele é um homem sozinho e sem força política para reformar uma França decadente