Sexo

“Trio de Ouro”: os três segredos para as mulheres atingirem o orgasmo

480

Um estudo norte-americano apurou que 65% das mulheres heterossexuais atingem sempre o orgasmo durante o sexo. Em homens, a percentagem é de 95%. O orgasmo feminino depende, afinal, de três coisas.

Getty Images/iStockphoto

Um estudo conjunto da Universidade de Chapman e da Universidade do Indiana concluiu que, enquanto 95% dos homens heterossexuais atingem sempre o orgasmo durante as relações sexuais, apenas 65% das mulheres heterossexuais o conseguem. Mas há uma justificação para esta diferença. De acordo com o relatório publicado no Archives of Sexual Behavior, as mulheres que trocam beijos mais intensos e profundos com o parceiro, recebem mais sexo oral e maior estimulação manual dos genitais acabam por ter mais orgasmos.

O “trio de ouro”, como lhe chamam os norte-americanos, foi descoberto durante uma investigação que envolveu mais de 52 mil pessoas nos EUA e que se debruçou sobre os comportamentos sexuais de homens e mulheres heterossexuais, homossexuais e bissexuais. Os homens heterossexuais são os que atingem mais frequentemente o orgasmo mas, entre as mulheres, são as homossexuais que experimentam mais vezes o clímax. O estudo, que pode ser consultado aqui, sugere que os beijos, a prática do sexo oral e a estimulação dos genitais estão na base da satisfação feminina.

A investigação apurou também que, ao contrário do que 30% dos homens pensam, o coito vaginal pode não ser a melhor forma de garantir que a mulher atinge o orgasmo. Na verdade, dentro do universo de quase 26 mil mulheres heterossexuais questionadas durante esta investigação, apenas 35% disse ter alcançado o clímax apenas através da penetração vaginal. Essa percentagem aumenta para 80% nas mulheres heterossexuais e 91% nas lésbicas quando experimentam o “trio de ouro”.

Mas há outros segredos para aumentar a probabilidade de as mulheres atingirem mais frequentemente o orgasmo As estatísticas dizem que os casais em que as mulheres atingem sempre ou normalmente o orgasmo durante o sexo investem em seis outros fatores: discussão sobre novas experiências durante o sexo, troca de elogios sobre algo que um ou outro fez na intimidade, troca de mensagens com conteúdos sensuais (sexting), utilização de lingerie sexy, novas posições sexuais, satisfação de fantasias e expressão de amor durante o sexo.

Ainda esta segunda-feira, e sobre o mesmo assunto, a Durex desvendou que mais de dois terços das mulheres não atingem orgasmos sempre que têm relações sexuais, algo que levou a marca a lançar a campanha “#OrgasmsForAll”. Mesmo assim, 95% das mulheres dizem estar satisfeitas com a quantidade de vezes que atingem o orgasmo. “O prazer feminino é, ainda e muitas vezes, considerado secundário para o prazer masculino durante as relações sexuais, uma situação que esta campanha tenciona alterar, através da informação e sensibilização”, disse Mark Pearson, diretor da Durex na Europa e na América do Norte. “Sim, temos o estudo e a informação que o explica — mas precisamos que as pessoas mostrem que querem mais, para o seu parceiro e para si mesmos.”

Os dois estudos convergem na conclusão a que chegam sobre porque é que as mulheres não atingem tantos orgasmos quanto os homens: o problema parece estar também na comunicação. Neste estudo, realizado com 1.500 pessoas sexualmente ativas entre os 16 e os 64 anos, metade das mulheres admitiu sentir-se desconfortável a conversar com seu parceiro sobre como ajudá-la a atingir orgasmos com mais frequência. Mesmo tendo em conta que 28% dos dois sexos concordaram que os orgasmos ajudam a aliviar a tensão nos seus relacionamentos e que muitas pessoas dizem dormir melhor e sentirem-se mais felizes depois de atingirem o clímax.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Assédio Sexual

O sexo politicamente incorrecto

Rui Ramos
375

O alegado comportamento de Harvey Weinstein e Kevin Spacey só é possível numa cultura onde o assédio sexual pôde passar por um “pecadilho” menor. E a chamada "libertação sexual" contribuiu para isso. 

Governo

Coutadas e conflitos de interesse

Luís Aguiar-Conraria
232

As nomeações recentes para a ANACOM mostram que o Governo ainda não percebeu a importância da regulação para um crescimento económico sustentável. Os conflitos de interesses eram mais do que óbvios.

Brexit

Enganar os cidadãos

Alexandre Homem Cristo

Eis a lição do Brexit: ignorar os procedimentos republicanos e autorizar a manipulação do debate só serve para, sacrificando o povo e instrumentalizando o voto popular, legitimar uma agenda política.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site