Logo Observador
Celebridades

Há mais Beyoncé para adorar. Já nasceram os gémeos da cantora

A cantora foi mãe de gémeos no passado fim de semana. O avô das crianças, Mathew Knowles, partilhou a notícia nas redes sociais a dar as boas-vindas aos dois novos membros da família.

Kevork Djansezian/Getty Images for NARAS

A cantora Beyoncé e o rapper Jay Z foram pais de gémeos este fim de semana, avança a imprensa internacional. Apesar de ainda não haver confirmação oficial por parte do casal, o pai de Beyoncé, Mathew Knowles, partilhou a notícia na rede social Twitter. “Eles chegaram!”, escreveu Knowles na legenda de uma imagem que dá os parabéns aos bebés. O sexo das crianças permanece, por enquanto, desconhecido.

Bayoncé anunciou que estava grávida de gémeos no passado mês de fevereiro, ao publicar uma fotografia onde aparece de véu na cabeça e a abraçar a barriga, acompanhada da seguinte legenda:

Gostaríamos de partilhar o nosso amor e felicidade. Fomos abençoados duas vezes. Estamos extremamente gratos pelo facto de a nossa família estar a crescer, e agradecemos as vossas felicitações. Os Carters.”

Beyoncé é agora mãe de três, incluindo a pequena Blue Ivy de apenas cinco anos. Ainda antes do nascimento de Blue, a cantora sofreu um aborto e passou por uma fase complicada. A artista haveria de se dedicar a fundo ao trabalho: “Fui para o estúdio e escrevi a música mais triste que alguma vez fiz”, afirmou no seu documentário “Life is But A Dream”, referindo-se ao single “Heaven” do álbum lançado em 2014.

Beyoncé é casada com o rapper Jay Z desde 2008.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Justiça

Sexo forçado no tribunal

Luís Aguiar-Conraria

Não sei que idade têm os juízes, nem a juíza que votou favoravelmente este acórdão, mas, seja qual for a sua idade, envergonharam Portugal que foi, mais uma vez, e muito bem, condenado pelo TEDH.

Minorias

O machismo militante da histeria anti xenofobia

Maria João Marques

Os que gritam xenofobia perante a mais leve crítica a certas comunidades onde os maus tratos a mulheres são inerentes à cultura que tanto defendem, fizeram a sua escolha: apoiar a opressão de mulheres