Brasil

Economia brasileira vai crescer 3% a partir de 2018

A economia brasileira terá um crescimento anual de 3% a partir de 2018 depois de se recuperar de uma grave recessão entre 2015 e 2016, disse o ministro das Finanças do Brasil, Henrique Meirelles.

Henrique Meirelles, ministro das Finanças do Brasil

Sebastiao Moreira/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A economia brasileira terá um crescimento anual de 3% a partir de 2018 depois de se recuperar de uma grave recessão entre 2015 e 2016, disse esta sexta-feira o ministro das Finanças do Brasil, Henrique Meirelles.

“Vamos entrar em 2018 com a economia crescendo a um ritmo em torno de 3% e poderemos crescer mais ainda em 2019”, escreveu o ministro numa mensagem na rede social Twitter.

A nova previsão foi lançada exatamente uma semana depois de o Governo ter informado que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 0,2% no segundo trimestre deste ano em relação ao primeiro trimestre e 0,3% em comparação com o mesmo período de 2016.

A economia brasileira já havia crescido 1% no primeiro trimestre de 2017.

Os números confirmam a leve recuperação do Brasil após dois anos de recessão, quando o PIB do país se contraiu 3,8% em 2015, o seu pior resultado em 25 anos, e 3,6% em 2016, fazendo com que o país registasse crescimento negativo dois anos pela primeira vez desde a década de 1930.

Os dados positivos divulgados na semana passada forçaram os economistas a reverem a sua previsão para o crescimento económico do Brasil este ano, de 0,39% para 0,5%, a mesma previsão do Governo.

Para 2018, o mercado financeiro esperam um crescimento de 2%.

O otimismo é atribuído principalmente à divulgação de que o consumo de famílias, um dos principais motores da economia brasileira, que voltou a crescer.

Henrique Meirelles atribuiu parte da recuperação brasileira às medidas tomadas pelo Governo do Presidente Michel Temer para ajustar as contas públicas e dar um impulso à economia.

Além de um ajuste fiscal severo, o Congresso aprovou vários projetos para impulsionar a economia, como a reforma que flexibilizou a legislação laboral e tem na sua agenda uma profunda reforma do sistema de pagamento de pensões.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site