FC Porto

Aboubakar perdeu mas esteve em festa… no balneário do adversário

580

As imagens foram divulgadas depois do FC Porto/Besiktas ter terminado com uma pesada derrota para o clube português. O jogador do FC Porto esteve a matar saudades dos ex-companheiros da Turquia.

PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP/Getty Images

O Futebol Clube do Porto perdeu, em casa, por 3-1 contra o Besiktas e no final do jogo surgiu numa rede social um vídeo com o jogador em festa… no balneário do adversário. Vincent Aboubakar aparece com Ryan Babel, entre gargalhadas e abraços, no balneário do Besiktas e isso foi suficiente para o desfilar de críticas, piadas e todo o tipo de reações sobre o jogador do FC Porto.

O vídeo foi publicado no Instagram pelo jogador do clube turco Ryan Babel que escreve como sente a falta de Aboubakar, que trata por “meu irmão” — “tenho saudades dele”. O jogador jogou no Besiktas na época passada, emprestado pelo FC Porto. No jogo de ontem, da Liga dos Campeões, Aboubakar não jogou e não estava sequer no banco, porque estava castigado, acabando por visitar os ex-companheiros de equipa no balneário adversário.

A visita bem-humorada do jogador camaronês contrastou com o humor dos portistas no final do jogo de estreia na Liga dos Campeões, em que o FC Porto perdeu por 3-1. Rapidamente surgiram todo o tipo de reações nas redes sociais:

Estes dois últimos tweets referem-se à atitude do antigo jogador do FC Porto, Ricardo Quaresma, no jogo desta quarta-feira. O internacional português foi até aplaudido pelos adeptos portistas quando saiu do campo na substituição. Mas nem todas as reações são negativas. Também há quem critiquem quem critica:

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Identidade de Género

Totalitarismo

Paulo Tunhas

Age-se como se cada um fosse como um camaleão, pronto a se metamorfosear naquilo a que aspira. Podemos descer na escala dos seres até aos animais ou tornarmo-nos divinos, de acordo com a nossa vontade

Banca

O BES e o novo modelo de supervisão

Helena Garrido

Os casos BES e Banif não teriam acontecido se já tivéssemos o novo modelo de supervisão bancária em discussão pública? As arquitecturas de governação não mudam as pessoas nem alteram os incentivos.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site