Beleza e Bem Estar

Inês Mocho, a maquilhadora portuguesa mais famosa do YouTube, abriu um salão de beleza

266

Mudou a academia de sítio e acrescentou-lhe um salão de beleza, em Lisboa. Inês Mocho, a maquilhadora que é fenómeno do YouTube, quer apostar em força na formação, mas não larga as câmaras por nada.

Depois do Porto e do Lumiar, em Lisboa, Inês Mocho abre o seu terceiro espaço, o primeiro com serviços de beleza para o público.

ANDRÉ CARRILHO/OBSERVADOR

Aos 30 anos, Inês Mocho assume o bicho-carpinteiro. Depois de um ano com uma academia a funcionar à porta fechada, ali para os lados do Lumiar, chegou a altura de dar um novo salto. A Inês Mocho Academy abriu esta semana no Alto dos Moinhos, também em Lisboa, e tem porta aberta para a rua.

A primeira sala é um templo de vaidades: maquilhagem, sobrancelhas e unhas de toda a espécie, um serviço que também se estende à clientela masculina. Nos bastidores do novo espaço, acontece tudo o resto. Há uma sala de aula onde são dados os cursos, mas também os workshops temáticos, e um estúdio onde vão passar a ser filmados as reviews e os tutoriais para o canal do YouTube. Pela primeira vez, Inês vai fazê-los fora de casa. “Quando se começa, o YouTube dá imensa audiência. Depois, ou conseguimos mantê-la ou não”, afirma Inês, que em 2013 se aventurou a filmar o seu primeiro tutorial de maquilhagem. Hoje, o canal tem mais de 111 mil subscritores, portanto, parece que Inês não se saiu nada mal.

A visibilidade nas redes socais levou-a a abrir um primeiro espaço dedicado à formação há três anos, no Porto. “Queria criar a minha própria comunidade de artistas”, confessa. Vinha inspirada pelo ambiente da Napoleon Perdis Academy, em Hollywood, onde tinha acabado de fazer um curso intensivo de três meses e onde os maquilhadores eram vistos como artistas. “Fiz três cursos em Portugal, mas estava sempre de olho no que se fazia lá fora. Cá, era tudo muito pouco. Eu fazia muitas perguntas e a algumas nem me respondiam”, conta. “Com os vídeos era a mesma coisa, eram as bimbas do YouTube”, completa.

A sala de formação da Inês Mocho Academy tem 10 postos, embora os cursos tenham apenas oito vagas © André Carrilho/Observador

Inês sempre gostou de inventar, de usar batons nas pálpebras, de misturar batom vermelho com eyeliner preto na falta de um tom burgundy para os lábios. É essa a criatividade que passa na sala de aulas da academia. Primeiro, mudou-se para Lisboa, atraída pela centralidade e agora decidiu avançar com o upgrade do salão de beleza, onde o serviço de manicure com verniz de gel fica por 20€ e a maquilhagem express por 40€.

Os cursos duram cinco meses e, como diz a formadora mor, “entram aqui amadores e saem profissionais”. As turmas não vão além dois oito elementos e mesmo com um curso a decorrer, a próxima edição já está esgotada. Com ela, trabalham mais quatro formadores, uma equipa que Inês quer aumentar em prol da diversidade de abordagens à maquilhagem. E esta é só uma parte da oferta formativa da academia. Para quem não tem a ambição de se tornar profissional, os workshops temáticos conseguem fazer verdadeiros milagres. O mais pedido é o que vai direto às bases, da hidratação da pele aos dois looks básicos, um para o dia e outro para a noite. Os smokey eyes continuam a fazer correr muita tinta, tal como a aplicação daquele eyeliner básico. Infelizmente, nem todas lhe apanham o jeito assim à primeira.

Apesar da agenda apertada, Inês não quer descartar os eventos especiais. Na semana passada, ainda o salão não estava aberto ao público, passou por lá Jamie Coombes, makeup artist da Dior. O momento foi à porta fechada, mas os alunos da academia vibraram com a aula relâmpago.

Quem é Inês Mocho?

Afinal, o primeiro tutorial de Inês não foi aquele que filmou na casa de banho, com a cortina da banheira como pano de fundo e a câmara de sete megapixels apoiada no copo de lavar os dentes. Tinha dois anos quando a mãe a fotografou num passo passo de como aplicar o batom de cieiro corretamente. Nos anos seguintes, a queda para a maquilhagem só se evidenciou ainda mais. “Os meus primeiros castigos foram porque levava maquilhagem da minha mãe para a escola às escondidas”, conta. Em alternativa, rendeu-se às pintarolas. Quando percebeu que elas debotavam, rapidamente passaram de guloseimas a sombra, batom e blush.

Inês Mocho conta com uma equipa de três pessoas para garantir os serviços do salão de beleza © André Carrilho/Observador

Anos mais tarde, Inês licenciou-se em Design de Comunicação e trabalhou durante seis meses numa daquelas empresas onde toda a gente anda de fato. Saiu para perseguir o sonho da maquilhagem, fez três cursos em Portugal e um em Hollywood que valeu pelos outros todos juntos. Foi quando estava nos Estados Unidos que os seus vídeos de maquilhagem se tornaram um fenómeno de popularidade. No final do curso, veio o dilema. Continuar fora e começar a trabalhar nos bastidores de grandes desfiles de moda ou voltar para Portugal. Voltou, tornou-se formadora e não se arrepende.

Como andam as modas?

Inês fala numa maquilhagem bipolar: pele saudável e sem excessos, olhos pestanudos e lábios cheios de personalidade. É aprender com a Beyoncé e com a máxima “I woke up like this“. O baking ficou lá atrás, vive-se agora a era do “pós-contour”, em que os iluminadores são a ferramenta mais importante. Sem poros nem rugas, mas também sem esculpir demasiado o rosto. Nos olhos, a maquilhadora destaca o boom das pestanas postiças. Aplicá-las não é nenhum bicho-de-sete-cabeças, mas acertar no formato perfeito não é assim de caras. “É como escolher umas calças de ganga”, conta. Não há pestanas universais, é preciso adequá-las ao tamanho e ao formato dos olhos. Os lábios são o centro das atenções. Têm de ser grandes, delineados e suculentos, independentemente da cor.

Nome: Inês Mocho Academy
Morada: Rua Abílio Mendes, 8A (Lisboa)
Horário: De segunda a sábado, das 10h às 20h
Site: www.inesmocho.com

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site