Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

E vão quatro dias a correr e a bater bolas sobre o pó de tijolo. O torneio de Roland Garros continuou esta quarta-feira e deu para um pouco de tudo: eliminações precoces (Serena e Venus Williams), um português a ganhar na competição de pares (João Sousa) e até mais um recorde para quem já se habituou a eles. Ao vencer Diego Schwartzmann (6-3, 6-4 e 6-4), Roger Federer tornou-se o primeiro tenista a ter pelo menos 60 vitórias em todos os torneios do Grand Slam.

Além de garantir a qualificação para a terceira ronda, o suíço vingou (cá para nós) a derrota de Gastão Elias – o português perdera logo na primeira ronda com o argentino Schwartzmann. Com esta conquista – frente a um dos mais baixos tenistas do circuito (apenas 1,70m de altura) -, Federer alcançou a 60.ª vitória em Roland Garros.

O atual número 4 do ranking ATP tornou-se assim no primeiro tenista da história a somar pelo menos 60 vitórias nos quatros Grand Slams: em Wimbledon leva 73, enquanto no Open da Austrália e no US Open vai nas 67. Federer, recorde-se, detém igualmente o recorde de maior número de Grand Slams conquistados: 17.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O adeus das Williams

Para a terceira ronda também seguiu Novak Djokovic. E aqui, Jeremy Chardy não vingou ninguém. O sérvio, que eliminara João Sousa na primeira ronda, ultrapassou o francês pelos parciais de 6-1, 6-4 e 6-2. Nem os aplausos ou uma bancada do seu lado lhe valeram. Os gauleses, porém, podem festejar: noutro court, Jo-Wilfried Tsonga atropelou Jurgen Melzer por 6-2, 6-3 e 6-4.

João Sousa só fez um jogo no quadro de singulares, mas com um homem ao seu lado já passou à segunda ronda de Roland Garros. O português, 44.º do ranking, fez par com o norte-americano Jack Sock e venceu esta quarta-feira a dupla de sotaque castelhano de Leonardo Mayer (argentino) e Pablo Andujar (espanhol), por 7-5 e 7-6 (9-7, no tiebreak).

No quadro feminino houve uma despedida conjunta. O primeiro adeus – e já agora, a maior surpresa – surgiu quando Serena Williams, número um do ranking WTA e vencedora da edição de 2013, perdeu frente a Garbine Muguruza (6-2 e 6-2). A sua irmã Venus não a quis deixar sozinha e, no duelo contra Anna Shmiedlova, também foi derrotada: 2-6, 6-3 e 6-4.