O Banco Popular Portugal obteve um resultado líquido de 1,2 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, uma redução de 41,3% face aos 2 milhões de euros registados no período homólogo de 2013, divulgou esta quinta-feira a instituição.

Segundo o relatório e contas entretanto divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a margem financeira ascendeu a 62 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, correspondendo a uma diminuição de cerca de 2,1 milhões de euros, menos 3,3%, face ao mesmo período do ano anterior.

Esta redução ficou a dever-se, segundo justifica o banco, “ao efeito combinado do crédito concedido (-16,6 milhões de euros por via da redução do volume médio mas essencialmente por via da redução de taxas de juro) e carteira de ativos financeiros (-12,7 milhões de euros por via da redução das taxas de juro destas operações)”.

Quanto ao crédito concedido a clientes, este totalizava cerca de 5,6 milhões de euros, representando 60,5% do total do ativo, ou 57,4% se deduzidas as provisões para crédito vencido. Já o crédito a empresas e administrações públicas ultrapassava os 3,1 milhões de euros (excluindo outros crédito titulados e crédito vencido), correspondendo a 62,4% do crédito concedido.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os depósitos à ordem registaram um crescimento de 153,7 milhões de euros, ou seja mais 21,5% face ao mesmo período de 2013, passando de 715,5 milhões de euros para 869,2 milhões de euros. O Banco Popular Portugal obteve um prejuízo de 31,7 milhões de euros em 2013, depois de lucros de 2,7 milhões em 2012, penalizado pelo menor volume de crédito, redução do preço das operações ativas e descida da margem financeira.

Entre 2009 e 2013 o resultado líquido do Banco Popular tem vindo sempre a decrescer: 17,7 milhões de euros em 2009, 15,9 milhões em 2010, 13,4 milhões em 2011, 2,7 milhões em 2012 e 31,1 milhões negativos no ano passado.