A IFA é uma das feiras de eletrónica mais importantes do planeta, podendo gabar-se de ter uma tradição respeitável. O primeiro evento ocorreu em 1924 e inclui na sua história algumas novidades determinantes: foi em Berlim que foi anunciado o primeiro tubo de raios catódicos que viria a dar origem à televisão e foi também lá que a Philips anunciou o primeiro gravador de fita.

Icónica — e misógina — é também a sua mascote. Em vez de um qualquer animal estilizado ou desenho animado, a Miss IFA é mesmo uma menina de peruca ruiva que passa os dias a exibir o seu sorriso estilizado junto de todos os telemóveis, frigoríficos, câmaras e televisões.

E esta é uma feira eclética, virada para o grande público: todos os anos passam por aqui mais de duzentas mil pessoas em busca de novidades no mundo digital. A feira inclui os gigantes da tecnologia com os seus últimos telemóveis e tablets, mais as marcas do grande comércio com produtos tão diversos como frigoríficos e aspiradores, sendo ainda complementados pelas marcas desconhecidas que trazem produtos estranhos e surpreendentes. Assim, há de tudo: lado a lado com os grandes produtos de consumo eletrónico estão avanços tecnológicos na área da domótica e nas parcerias globais entre indústria e aplicações comerciais.

Até a data é estratégica: as novidades aqui anunciadas inundam os mercados no último trimestre do ano, entrando para o topo das listas de natal dos mais sonhadores. Já é difícil para as marcas manter o mistério sobre o que trazem, porque que as novidades vão sendo antecipadas pelo mercado. Assim, o segredo fica para os detalhes — há sempre margem para surpresas num ou noutro pormenor. Mas o que se sabe é já mais do que suficiente para permitir fazer uma visita guiada às novidades anunciadas para a IFA. Cá vai ela:

Wearables

Continua toda a gente à espera que 2015 seja o ano da tecnologia aplicada ao corpo, e por isso a expectativa é enorme. A Samsung, que tem uma parceria com o Facebook para os Oculus, pode abanar e muito mercado. O gigante coreano também estará a trabalhar num produto concorrente aos Google Glass e trará também um anúncio na área dos relógios inteligentes — o Gear S já vem com ranhura para cartão SIM 3G, o que lhe permitirá funcionar como telemóvel de forma autónoma, para além de serviços noticiosos e de GPS.
Mas outras marcas também querem ter novidades: a Asus prepara um smartwatch a preço acessível (menos de € 120 para o mercado americano). E a HTC não confirmou, nem desmentiu, os rumores de que já estaria pronta para mostrar o modelo de smartwatch que está a preparar. A LG tem o G Watch G, que corre o Android Wear e quer tornar-se numa referência — e como há uns meses a LG já surpreendeu no campo dos telemóveis, pode bem repetir a brincadeira nos Wearables. E a Sony também quer anunciar um novo produto, possivelmente com um sistema operativo próprio, para alargar a sua gama Smartwatch.

Tablets

Aqui há novidades para todos os gostos. Esta é uma área de negócio com crescimento garantido e por isso todos querem disputar os lugares disponíveis no pódio da relação preço/qualidade.
A Acer anunciou o alargamento da sua gama Iconia com o A3-320, um modelo de 10.1 polegadas — nas suas características deverá incluir 1 Gb Ram, 16 ou 32 Gb de disco e um processador 1.3 Ghz. A Sony também vai trazer o novo Z3 Tablet Compact, mesmo sem ter anunciado as suas detalhes. A Asus vai querer entrar em dois mercados, com mais um híbrido entre o tablet e o portátil. E a Huawei também deve trazer um produto que ajude a agitar ainda mais este mercado.

Telemóveis

A Motorola deve já apresentar a evolução do Moto X, o Moto X2 — com mais capacidade de processamento e armazenamento, novas câmaras e acabamentos melhorados. E também se espera a renovação do Moto G, que se deve chamar (adivinhou!) Moto G2.
A Microsoft vai levar o novo Nokia Windows Smartphone, que vai apostar tudo na melhor câmara do mercado para tirar ‘selfies’. A Sony vai trazer o Xperia Z3, com capacidades muito melhoradas; e deve também trazer um Z3 “compacto”, com uma supercâmara incorporada. A ver. Por fim, também a Huawei vai mostrar o Ascend Mate 7, com resolução melhorada no seu ecrã de 6 polegadas.

Phablets

Esta não tem mesmo tradução para português. Um ‘phablet’ é a junção entre um grande telemóvel e um pequeno tablet num único aparelho que conjugue características de ambos.
A Asus, a Huawei e a Sony podem apresentar novidades nesta área. Vão conhecer-se pormenores (e preços) para o LG G3 Stylus — e como os analistas acolheram bem o LG G3 (smartphone), o mesmo deverá acontecer este produto maior.

Mas também aqui a atenção maior vai recair na Samsung. Vai ser apresentado, já amanhã, o Galaxy Note 4 — uma melhoria significativa que continuará a dar a liderança deste mercado à marca coreana. Esperam-se muitas novidades para o evento em que a Samsung anuncia a inovação da sua linha de produtos, tradicionalmente a antecipar a FIA, e que o Observador vai acompanhar amanhã. O evento reveste-se de tal importância para a marca que decorre em simultâneo em três locais — Berlim, Pequim e Nova Iorque.

Domótica

Esperam-se também grandes anúncios na área da “internet das coisas” — a tendência que ligará todos os eletrodomésticos caseiros à internet para os pôr a comunicar uns com os outros. A Panasonic e a Philips têm investido muito nestes mercados. Esta evolução aumentará muito a eficiência do quotidiano e trará também muitos problemas relacionados com a privacidade e segurança. Mas disso não se fala aqui, porque o momento é de espetáculo.

A Spotify, que continua a tentar tornar-se uma rede social sem perder a matriz de serviço de música, vai anunciar um alargamento do seu plano Spotify Connect — parceria com marcas de referência da indústria do som e imagem para conjugar os seus serviços nas plataformas caseiras e assim aumentar as opções sonoras para os utilizadores. Para ajudar à concorrência direta com o AirPlay da Apple, a sueca Spotify vai estender parcerias à Philips, à Samsung, à Sony e a muitas outras marcas.
No grande consumo, que atrai as maiores atenções, as novidades vão mesmo chegar do Oriente. A Huawei e a Sony não abriram o jogo sobre o que trazem, a Samsung traz o seu phablet mas guarda mais alguns trunfos na manga, que serão revelados amanhã. É de um destes gigantes tecnológicos do oriente que vai surgir um smartphone de 64 Gb, tal como foi anunciado pela empresa de processadores Qualcomm — que deixou o nome do fabricante por desvendar.

https://twitter.com/Qualcomm_UK/status/506397939053633536/

O Observador viajou para Berlim a convite da Samsung.