Rádio Observador

Lifestyle

Capa da Paper promete “deitar a internet abaixo”

A estrela de televisão posou praticamente nua para a edição de inverno da Papermag. Rabo de Kim Kardashian tornou-se motivo de sátira na internet. E a própria já respondeu.

Há duas versões da capa da publicação norte-americana

David Livingston

O número de inverno da revista Papermag tinha um objetivo muito claro quando convidou Kim Kardashian West para posar na capa da publicação: deitar a Internet abaixo. Dito e feito. A socialite surge com o rabo a descoberto numa de duas versões da capa em questão — numa das imagens aparece praticamente nua, a usar apenas luvas pretas e, na outra, está vestida e equilibra uma taça de champanhe com o traseiro. O assunto tornou-se viral, chegou às redes sociais e à imprensa internacional.

A personalidade, com direito a um programa próprio na televisão norte-americana, serviu-se das redes sociais para responder — se assim se pode entender — aos comentários que têm sido feitos. “E eles diziam que eu não tinha talentos… Tentem equilibrar uma taça de champanhe no vosso rabo”.

As imagens que estão nas bocas do mundo são da autoria do francês Jean-Paul Goude, mais conhecido pelo seu trabalho com Grace Jones (em particular, pela imagem da cantora que faz a capa do álbum de 1985, Island Life). É também o homem por detrás da câmara que fotografou Vanessa Paradis na forma de um pássaro preso numa gaiola, para a marca de luxo Chanel. Mas mesmo tendo o cunho de Goude, escreve o Independent, as imagens são alvo de gozo, tal como aconteceu com a capa de março da Vogue norte-americana: “Porque, em todos os aspetos da sua vida pública, Kim aspira a níveis inexplicavelmente mordazes de antipatia de pessoas que consideram que ela é demasiado (…) mainstream para realmente pertencer aos escalões superiores do mundo da moda”. Ainda assim, o jornal coloca em cima da mesa a expressão “mulher de negócios”.

O certo é que, aos 34 anos, Kim obteve a reação desejada, afirma o Daily Mail. Numa questão de horas, a imagem que o jornal diz ter sido modificada por photoshop foi recriada por inúmeros cibernautas, que lhe deram uma versão própria em vários memes. Possivelmente ao contrário do esperado, a controversa fotografia uniu o mundo online num sentido: encontrar a forma mais cómica de parodiar a respetiva capa. Mas a adoração de fãs também é real, com as fotografias que Kim colocou no próprio instagram a receber mais de meio milhão do “gostos”.

O Telegraph, por seu turno, revela que encontrou centenas de resultados associados à estrela de televisão na rede social Twitter e recolhe as reações díspares que estão a circular na Internet. Enquanto a maioria das opiniões traduzem-se num “wow”, diz o jornal britânico, há outras menos felizes. Algumas chamam ainda atenção para o facto de Kim ser mãe. É o caso da atriz de Glee, Naya Rivera, que deixou o seguinte comentário na fotografia de Kim, publicada no Instagram: “Eu normalmente não faço isto. Mas… tu és a mãe de alguém…”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)