As autoridades indonésias prometeram hoje envidar o “máximo esforço” nas buscas pelos corpos dos passageiros que seguiam a bordo do avião da AirAsia, que se despenhou no domingo, no Mar de Java.

Sete cadáveres foram recuperados das águas próximas da ilha do Bornéu pelas autoridades que, esta quarta-feira, se viram obrigadas a suspender as operações de busca devido ao mau tempo.

A bordo do avião da companhia aérea de baixo custo malaia AirAsia, que descolou da cidade indonésia de Surabaia com destino a Singapura, seguiam 162 pessoas.

“Hoje o tempo está limpo. Estamos a envidar o máximo esforço nas buscas pelos corpos e para encontrar a fuselagem”, disse Sunarbowo Sandi, da Agência Nacional de Busca e Resgate, à agência AFP, a partir de Pangkalan Bun, cidade no Bornéu que tem a pista de aterragem mais próxima do local do acidente.

O mesmo responsável indicou que especialistas estrangeiros vão juntar-se aos investigadores da Indonésia na tentativa de localizar os destroços e recuperar as caixas negras do Airbus, peça fundamental para determinar a causa do fatal acidente.

“Dez investigadores do comité nacional de segurança dos transportes (KNKT), dois especialistas de França e outros dois de Singapura vão juntar-se hoje às operações para tentar localizar a fuselagem do avião”, realçou Sunarbowo Sandi, afirmando esperar que se consiga detetar o fraco sinal emitido pelo ELT.

O ELT — transmissor de localização de emergência, na sigla em inglês — envia um sinal que ajuda as equipas de resgate a encontrar o avião no caso de acidente.

Quatro corpos foram entretanto levados para terra, estando previsto que os restantes três recuperados até ao momento sejam transportados hoje.

“Três helicópteros preparam-se para levar os restantes três corpos do navio de guerra para Pangkalan Bun”, acrescentou.

As instalações para a análise e identificação dos corpos encontram-se em Surabaia, para onde já foram transferidos dois cadáveres.

A polícia tem vindo a recolher amostras de AND e dados clínicos de dezenas de familiares das vítimas para ajudar a identificar os corpos.