“Ano novo, vida nova”. O ditado já tem teias de aranha, mas a mensagem renova-se de doze em doze meses. A passagem do ano pode ser o momento ideal para pôr as coisas em ordem, definir metas e fazer por cumprir desejos, pelo que o Huffington Post pediu o contributo da blogger Sharon Greenthal que, em tempos, foi uma organizadora profissional. Greenthal reuniu um total de dez conselhos para que em 2015 tenha uma vida mais organizada, não fosse esta a altura dos recomeços.

1. Retire 15 minutos do seu dia para se organizar
Durante este período de tempo pode fazer qualquer coisa, desde organizar a caixa de e-mail a deitar fora comidas “misteriosas” que com o passar do tempo ficaram esquecidas no congelador. São apenas 15 minutos, mas o ritual diário pode fazer uma grande diferença a longo prazo.

2. Faça o download do Quicken (ou de qualquer outro programa com o mesmo efeito, isto é, ajudar a organizar as finanças pessoais)
Escreve a autora que o Quicken vai tornar a sua vida financeira muito mais fácil. Custa cerca de 50 dólares (pouco mais de 40 euros) e através dele é possível pagar contas, fazer o download de transações bancárias, delinear orçamentos e ver quanto está a gastar. Será, certamente, menos uma dor de cabeça.

3. Crie um sistema de triagem para os documentos
Organize-os da seguinte forma: os que remetem para uma ação, “para fazer”, os que requerem uma leitura atenta, “para ler”, e os que precisam de ser arquivados, “para guardar”. “É tudo o que precisa para ter as coisas em ordem”, escreve Sharon Greenthal, acrescentando que pode realizar esta tarefa dentro dos 15 minutos já referidos.

4. Faça uma lista com as passwords e coloque-a num lugar seguro
Porque a habilidade em recordar-se de passwords poder ser, por vezes, muito escassa, há várias formas de manter as senhas pessoais num lugar seguro, além da lista que poderá ter feito num post-it e colocado junto ao computador (essa não conta). Para o efeito, a autora dá como exemplo o programa Last Pass — a ideia é perder algum tempo nisto e guardar online a informação vital, para que possa aceder a ela a partir de qualquer lugar.

5. Ter um “centro de informação” familiar
Quer seja um quadro na cozinha ou um calendário no Google, que pode ser acedido individualmente, a ideia é que a família partilhe planos e informações entre si — desde datas a números de telefone, passando por horários escolares. E caso esteja predisposto a isso, cada pessoa poderá ser identificada através do uso de uma cor específica.

6. Encontre um programa de backup online e use-o
As sugestões são muitas e podem passar pelos programas Carbonite e SOS, mas há também a possibilidade de arranjar um disco externo e ligá-lo ao computador. Isto é essencial para que tenha uma consciência tranquila, esclarece a autora, e uma forma de assegurar que não perde a informação — dos documentos legais a fotografias de família. Com um programa do género é possível recuperar ficheiros em qualquer momento e em qualquer lugar.

7. Seja implacável e reestruture o armário
Passe algumas horas de volta das roupas que tem no armário. Seja honesto consigo próprio sobre se as peças de roupa lhe servem, se gosta delas e se as vai voltar a usar. Caso tenha um/a amigo/a em quem confie, convide-o/a a participar: experimente a roupa e peça-lhe uma opinião. No final, o que não quiser guardar pode ser cedido a uma instituição de caridade (deite fora o que estiver estragado ou rasgado). Feito isto, terá um armário mais fácil de gerir e as pessoas terão mais roupas para vestir — é um verdadeiro 2 em 1.

8. Confirme as datas de validade no armário dos medicamentos e na cozinha
O mais certo é ficar surpreendido com as muitas coisas que, não só estão fora de validade, como já não são úteis. Isto porque os temperos perdem o sabor e os analgésicos a eficácia. Livre-se de medicamentos que já não são necessários e verifique o estado da comida enlatada, dos cereais e dos alimentos congelados.

9. Comece a digitalizar as fotografias para ficar com elas no computador (ou pague a alguém para fazê-lo por si)
Este é um projeto a longo prazo. A autora aconselha que dedique 15 minutos de cada dia à tarefa, a qual não deve ter um deadline definido — dispensa-se a pressão num projeto que deve ser feito com calma.

10. Arranje um kit de emergência para o carro
Não interessa onde vive, o kit vai faz-lhe falta caso o azar venha bater à porta ou saía à rua. Voltemos aos ditados populares: mais vale prevenir do que remediar.