Portugal já tem marcas de qualificação para os Europeus de atletismo de pista coberta, tendo a federação divulgado esta sexta-feira os mínimos que terão de ser obtidos nas próximas oito semanas, para garantir o acesso à prova de Praga. O prazo de qualificação definido pela Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) vai desde 1 de janeiro até 22 de fevereiro, sendo que os atletas com marca terão de participar nos Campeonatos de Portugal, em fevereiro.

Há dois anos, em Gotemburgo (Suécia), Portugal competiu com 12 atletas, com destaque para a vitória de Sara Moreira nos três mil metros, e os lugares de top-8 de Marco Fortes (peso), Hélio Gomes (1.500 m) e Patrícia Mamona (triplo). As marcas de qualificação para 2015 estão em linha com as de 2013 — há agravamento em quatro provas e são mais fáceis em outras quatro — e deixam antever uma delegação novamente próxima da dúzia.

Tendo em conta as marcas de 2014, haveria apenas sete com marca, mas é elevado o número de atletas que estão próximos e dos que simplesmente nem competiram em pista coberta no último ano (nomeadamente Nélson Évora, Patrícia Mamona, Susana Costa, Sara Moreira). Os atletas que teriam acesso com as marcas do ano passado são Francis Obikwelu (60 metros), Rasul Dabó (60 metros barreiras), Edi Maia (vara), Marcos Chuva (comprimento), Marco Fortes (peso), Eva Vital (60 metros barreiras) e Eleonor Tavares (vara).

Nos 60 metros, a marca é facilitada em dois centésimos de segundo e passa para 6,70, pelo que os dois participantes de 2013, Ricardo Monteiro e Diogo Antunes, terão a forte concorrência de Francis Obikwelu e Yazaldes Nascimento. Se estiverem em forma, Rasul Dabo e Eva Vital não têm concorrência nas barreiras, de novo.

Edi Maia e Eleonor Tavares são de novo candidatos na vara, provavelmente com a companhia de Diogo Ferreira, com 5,44 há um ano, mas depois com grandes progressos no verão. Marco Fortes também não deverá ter problemas, já que costuma lançar bem acima dos 19,30. As maiores variações poderão ocorrer no meio fundo, se Sara Moreira, Ercília Costa e Hélio Gomes não se apresentarem, a exemplo do que fizeram no ano passado, no Mundial. Marta Pen, de 21 anos e com 4.18,49 nos 1.500 metros (o mínimo é 4.15,00), é o nome mais forte.

No comprimento, Marcos Chuva pode ter a companhia do sub-23 Bruno Costa, que há um ano fez 7,71 (o mínimo é 7,80). Nas provas combinadas o acesso é feito por ranking, sendo que nenhum dos atletas está, de momento, próximo de aceder aos Europeus de Praga. Há dois anos, Tiago Marto foi 10.º no heptatlo.

 

Mínimos para o Europeu:

60 metros – 6,70 (m), 7,36 (m)

400 metros – 47,21 (m), 53,60 (f)

800 metros – 1.49,00 (m), 2.05,00 (f)

1.500 metros – 3.43,50 (m), 4.15,00 (f)

3.000 metros – 8.00,00 (m), 9.10,00 (f)

60 m barreiras – 7,78 (m), 8,21 (f)

Altura – 2,22 (m), 1,89 (f)

Vara – 5,50 (m), 4,35 (f)

Comprimento – 7,80 (m), 6,40 (f)

Triplo – 16,30 (m), 13,70 (f)

Peso – 19,30 (m), 16,25 (f)