O frio intenso já levou 223 pessoas ao pavilhão do Casal Vistoso, onde a câmara de Lisboa presta apoio aos sem-abrigo 24 horas por dia, para se protegerem das baixas temperaturas, revelou o vereador da Proteção Civil.

“Até ao momento foram atendidas 223 pessoas. (…) Tem havido um crescendo, desde o primeiro dia, em que houve pouca afluência. À medida que as equipas de rua vão trabalhando e informando os sem-abrigo eles acabam por vir aqui ao pavilhão do Casal Vistoso”, disse Carlos Castro à Agência Lusa.

O autarca registou também com agrado a resposta dos lisboetas ao apelo da câmara para a doação de roupas quentes, tendo sido recebidas mais de 400 dádivas nos quartéis dos bombeiros.

“O apelo que fizemos no início da semana para as pessoas doarem cachecóis, casacos, gorros luvas, cobertores foi mais do que satisfatório, superou todas as expetativas. Recolhemos nos quartéis de bombeiros, quer nos Sapadores quer nos Voluntários, 463 sacos de dádivas”, congratulou-se

A autarquia tem em vigor, desde segunda-feira, um plano de contingência para quem dorme na rua que se vai prolongar enquanto persistir o frio.

O plano é ativado quando se registam temperaturas de três graus ou inferiores durante dois dias consecutivos e conta com cinco equipas de rua para informar os sem-abrigo que podem recorrer ao pavilhão do Casal Vistoso (Areeiro) para tratar da higiene pessoal e comer uma refeição quente.

Os que querem pernoitar são encaminhados para centros de acolhimento.

O Dispositivo Integrado de Apoio aos Sem-Abrigo (DIASA) conta com técnicos da autarquia, da Cruz Vermelha e da Santa Casa da Misericórdia.