Um novo estudo desenvolvido por Shawn Grover e John Helliwell, dois investigadores da universidade canadiana da Colômbia Britânica, garante que os casados são mais felizes do que os solteiros. Grover, um analista do Departamento de Finanças da universidade, e Helliwell, professor emérito na mesma instituição, analisaram os dados de três questionários diferentes, de modo a medirem o grau de satisfação de vários indivíduos, antes e depois do casamento.

A análise dos dados permitiu concluir que os indivíduos casados são pessoas “mais satisfeitas”, o que sugere que o casamento tem “um efeito causal”. Para além disso, aqueles que são mais felizes, são também aqueles que, de um modo geral, têm mais propensão para casar.

De acordo com o estudo, os efeitos positivos podem ser maiores imediatamente após o casamento, mas isso não quer dizer que desapareçam ao longo dos anos. Com o passar do tempo, o nível de satisfação têm tendência a seguir um padrão em “U”, começando a deteriorar-se no início da idade adulta e por volta dos 40 anos, antes de subir novamente. Nos solteiros, a forma do “U” é mais profunda do que na maioria dos casados. “Uma hipótese que pode explicar o porquê da forma em ‘U’ ser mais profunda para os solteiros do que para os casados, é o facto de o apoio prestado por um cônjuge ajudar a aliviar as tensões da meia-idade”, explicaram os autores.

Por outro lado, os efeitos positivos do casamento são especialmente fortes em casais com uma relação muito próxima. “Os benefícios do casamento são, de um modo geral, duas vezes maiores para aqueles cujos cônjuges são também os melhores amigos”, refere o estudo.