As cabras estão na moda. Memes, vídeos e jogos com o animal marcam a internet, de tal forma que o jogo Goat Simulator -Simulador de Cabra – já faturou 10 milhões de euros em downloads. O Wall Street Journal explica que o objetivo deste jogo é tudo menos fazer pontos. Pelo contrário, os objetivos passam por destruir uma cidade com os cornos da cabra ou pô-la a voar.

O jogo parece ser uma piada, e começou assim mesmo conta Armin Ibrisagic, o designer sueco da companhia de jogos Coffe Stain Studios, responsável pelo lançamento. Tanto é que o jogo foi lançado no primeiro dia de abril para assinalar o dia das mentiras. Tornando-se depressa, segundo o jornal, um dos mais populares jogos produzidos de forma independente.

Segundo o jornal americano, desde março de 2006 que no motor de pesquisa do Google se tornou popular a pesquisa da palavra cabra. Mas em 2013 atingiu o auge com um anuncio à marca Doritos, criado por Ben Collner, onde uma cabra viciada em sncks era a personagem principal.

“As cabras tornaram-se ‘uma cena'” explica Ben Callner, que teve a ideia do anúncio quando viu uma “a gritar como um humano”. A publicidade passou no intervalo mais caro do mundo, o do Super Bowl, e segundo a agência de rating Nielsen Holdings tornou-se o mais memorável desse ano.

Pepsi, McDonald’s e Lenovo Group foram algumas das marcas que aproveitaram o embalo e usaram o animal como protagonista dos seus spots publicitários. E, foram estas publicidades que levaram ao jogo Goat Simulator, primeiro com um teste no Youtube: um vídeo homónimo do jogo, que era apenas um trailer fictício para o que lhe se seguiria.

A seguir, o sucesso antecipado: “As pessoas estavam sempre a perguntar quando é que o jogo a sério era lançado. Então sentámo-nos e decidimos criá-lo”, explicou o designer responsável. Mas, se por um lado, para uns parecia uma rampa de lançamento para o sucesso, dentro da empresa havia opiniões mais negativas que se levantavam, conta Mikael Mård, um artista 3D da Coffee Stain Studios. Contrariamente ao que estas visões mais pessimistas preconizavam, o jogo tornou-se um êxito e elevou, ainda mais, a importância do papel das cabras na internet.

Hoje, as cabras são a principal fonte de receita da empresa, que já pondera criar merchandising como canecas e t-shirts com o animal.

As cabras berram, berram muito, e assemelham-se a pessoas, o que tem feito sucesso no mundo dos internautas. Que o diga Taylor Swift que viu o videoclip da música “I Knew you were trouble” ser invadido por uma delas.

https://www.youtube.com/watch?v=-bayV3wez50&authuser=0

No Youtube ou no Google basta escrever cabra – ou a versão inglesa da palavra – para aparecer um lote variado de hipóteses: cabras zangadas, cabras a cuspir, cabras a berrar como pessoas, cabras a desmaiar, e por aí fora. Além de Taylor Swift, também Katy Perry foi interrompida pela mesma cabra.

Na Alemanha, já há muito que são reconhecidas qualidades às cabras que além de serem usadas em terapias médicas para pacientes que sofreram traumas, são também usadas nas faculdades de gestão. Sim, leu bem, Dorothea Dapper, fundadora do Systematic and Animal-Assisted Therapy, em Herten, explica: “As cabras são teimosas e insolentes. Aprender a lidar com elas de forma eficiente ensina, também, aos executivos a lidar com as pessoas.”