Seis filmes portugueses, dois dos quais em estreia mundial, integram o Festival Internacional de Cinema de Roterdão, que começa na quarta-feira na Holanda. Em estreia mundial serão exibidos “A toca do lobo”, de Catarina Mourão, e “Mined Soil”, de Filipa César.

A programação do festival contará ainda com “Cavalo Dinheiro”, de Pedro Costa, “O triângulo dourado”, curta-metragem de Miguel Clara Vasconcelos, “O velho do Restelo”, curta-metragem de Manoel de Oliveira, e “João Bénard da Costa – outros amarão o que eu amei”, de Manuel Mozos.

“A toca do lobo” é um documentário de pendor biográfico a partir do percurso do avô materno de Catarina Mourão, o escritor Tomaz de Figueiredo (autor do romance “A toca do lobo”), e que aborda também o tempo de resistência no Estado Novo.

“Mined Soil” é um projeto documental e experimental de Filipa César, que deu origem a uma exposição, inaugurada em 2013 na Noruega, e um filme, agora a apresentar em Roterdão, fazendo uma ligação entre o processo de independência da Guiné-Bissau, Amílcar Cabral e as pesquisas do político e agrónomo guineense em Portugal.