Educação

Alunos, pais e professores concentrados à porta do Conservatório desde as 07h30

Alunos e professores da Escola de Música do Conservatório Nacional começaram a concentrar-se, a partir das 07h30, à porta daquele estabelecimento de ensino para exigir obras urgentes.

© Hugo Amaral/Observador

“Estamos aqui mais de uma centena de pessoas que, à semelhança do dia de ontem [quarta-feira], exigem a intervenção necessária à segurança de alunos e professores, num edifício com problemas de degradação há vários anos”, disse à Lusa Elsa Maurício Childs.

A presidente da Associação de Pais contou que as portas do Conservatório estão abertas, mas os alunos não estão a entrar. “Os alunos estão sentados à porta da escola e vão agora de manhã reunir para decidir a melhor forma de continuar o protesto. Depois, ao meio-dia, vamos ‘dar um abraço’ ao Conservatório e, à tarde, vamos seguir para o parlamento para sermos recebidos às 14h30 por uma delegação de deputados do BE, PEV e PCP”, disse. Elsa Maurício Childs disse ainda estar a aguardar com expectativa a reunião de hoje de manhã entre a direção da escola e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEsTE).

Também a diretora da Escola de Música do Conservatório Nacional (EMCN), Ana Mafalda Pernão, disse esperar que a tutela consiga arranjar uma solução para o problema durante a reunião marcada para a manhã de hoje. “Aguardo com expectativa o resultado da reunião. É preciso arranjar uma solução para este problema, que põe em risco alunos e professores todos os dias”, disse.

A Escola de Música do Conservatório Nacional foi fechada na quarta-feira a cadeado pelos alunos, que querem ver resolvidas as questões de segurança no edifício. Uma vistoria da Câmara Municipal de Lisboa ao edifício obrigou, na segunda-feira, por questões de segurança, ao encerramento de dez salas, o que fez com que os alunos ficassem sem algumas aulas.

A escola foi reaberta por dois elementos da Polícia de Segurança Publica, pelas 09:45, sob forte protesto dos alunos, que fecharam as portas a cadeado durante a noite. Representantes de pais, alunos e do conselho geral da escola decidiram, na terça-feira, formar uma comissão que tem como principal objetivo “conseguir chegar à fala” com o Governo, relativamente às obras necessárias no edifício.

A maioria parlamentar chumbou na terça-feira um requerimento do Bloco de Esquerda para ouvir o ministro da Educação sobre o encerramento de várias salas no Conservatório Nacional, por falta de segurança, alegando que já foi anunciada uma intervenção. Porém, o BE mantém que é necessário Nuno Crato ir ao parlamento explicar como vai processar-se a intervenção, durante quanto tempo e como serão asseguradas as aulas.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Escolas

É agora que se aposta no sucesso escolar de 2019

Diogo Simões Pereira
230

É agora que os alunos, sobretudo os que receberam notas negativas como “presente de Natal”, têm de decidir se querem ou não fazer um esforço extra durante os próximos seis meses.

IAVE

Errare humanum est… exceto para o IAVE!

Luís Filipe Santos

É grave tal atitude e incompreensível este silêncio do IAVE. Efetivamente, o que sempre se escreveu nos anos anteriores neste contexto foi o que consta na Informação-Prova de História A para 2018.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)