A economia irlandesa disparou em 2014 ao registar uma taxa de crescimento de 4,8%, tornando-se no país europeu com o ritmo de aumento da atividade mais acentuado, entre aqueles que já apresentaram os dados referentes a 2014, de acordo com a agência Bloomberg. No ano anterior, a Irlanda tinha verificado um aumento do produto interno bruto (PIB) de apenas 0,2%.

O PIB irlandês registou uma taxa de crescimento de 4,1% no quarto trimestre de 2014 em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Do terceiro para o quarto trimestre, o PIB aumentou 0,2%, o que representa um abrandamento, tendo em conta que do segundo para o terceiro trimestre de 2014, a taxa de crescimento registada foi de 0,4%, de acordo com os dados oficiais do centro de estatística de Dublin (Irlanda), divulgados pela Bloomberg.

“De qualquer modo, as previsões futuras apontam para uma acentuada recuperação”, afirma Jack Allen, analista da Capital Economics.

As previsões para 2015 antecipam um aumento de PIB da Irlanda acima de 3%, sendo em conjunto com a Lituânia, os únicos dois países cujo crescimento económico para 2015 se poderá situar acima deste valor, segundo a publicação britânica The Economist. Na Irlanda, a taxa de crescimento anual irá estabilizar a partir de 2016, e até 2019, perto de 2,5% de acordo com as estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O desempenho da economia irlandesa foi ajudado pelo crescimento do investimento interno, em que destacou a empresa norte-americana Apple Inc., que confirmou, em fevereiro, que iria investir cerca de mil milhões de dólares num novo centro de dados que ficará localizado no oeste da Irlanda.

No que toca a outros indicadores, em relação ao terceiro trimestre, os gastos das famílias subiram 1,3%, os gastos públicos desceram 0,1% nos últimos três meses de 2014, as exportações aumentaram 1,2%, enquanto as importações subiram 5,4% e a formação bruta de capital aumentou 0,7%, de acordo com as estatísticas oficiais de Dublin.

O investimento em capital registou um aumento de mais de 11%, mostrando sinais de recuperação da confiança na economia irlandesa nos mercados internacionais, de acordo com os dados da Market Watch.

O país ainda apresenta uma taxa de desemprego acima dos 10% e níveis de endividamento “elevado” por parte das empresas e das famílias, diz a Market Watch. A Irlanda foi o primeiro país da zona euro a concluir o programa de resgate lançado pelas instituições da ‘troika‘ – FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu (BCE).