Os resultados líquidos da José de Mello Saúde aumentaram 30% em 2014, para 16,4 milhões de euros que comparam com os 12,6 milhões obtidos no ano anterior, de acordo com um comunicado da empresa, enquanto o EBITDA (lucros antes de juros, impostos e amortizações) registou uma subida de 30,2%, para 58,6 milhões de euros.

Os rendimentos operacionais consolidados registaram uma progressão para 532,1 milhões de euros, uma evolução de 7,8%, “impulsionados pelo crescimento da actividade de cuidados de saúde privados”, em 8,6%, “bem como pela actividade no segmento de cuidados de saúde públicos”, que cresceu 5,4%.  

No comunicado, a José de Mello Saúde assinala que as unidades do grupo “realizaram cerca de 1,8 milhões de consultas, um aumento de 14% face a 2013”. E prossegue com a informação de que foram “operados 78 mil doentes, um crescimento de 8% face ao ano anterior; atenderam-se em urgência mais de 560 mil pessoas, um crescimento de 7% face a 2013”.

No mesmo documento, Salvador de Mello, presidente da administração da empresa, refere que “pela primeira vez na história da José de Mello Saúde os rendimentos operacionais consolidados ultrapassaram a barreira dos 500 milhões de euros, refletindo o crescimento da atividade de cuidados de saúde, tanto privados como públicos”. Quando ao investimento realizado pela empresa durante o ano passado, atingiu 80,7 milhões de euros “e dividiu-se entre investimento imobiliário (64,3 milhões de euros) e investimento em obras e equipamentos (16,6 milhões de euros), sendo que investimento imobiliário resultou da operação de aquisição dos imóveis Hospital CUF Descobertas e Hospital CUF Infante Santo”.

A empresa acrescentou que “a dívida líquida consolidada registou um aumento de apenas 23,4 milhões de euros face a 2013, situando-se nos 102 milhões de euros, o que se deveu à geração positiva de fluxos de caixa da generalidade das unidades do Grupo e à contratação de dívida adicional para fazer face aos investimentos realizados”.

A José de Mello Saúde vai “avançar com a construção de um novo hospital em Lisboa, num investimento estimado de 100 milhões de euros”. A este projecto, acrescenta a empresa, “acrescem a expansão do Hospital CUF Descobertas, o lançamento do Hospital CUF Viseu – que estará disponível no início do ano de 2016 – e a aquisição do Hospital Privado de Santarém”.