Ter Wes Anderson a desenhar um café só podia resultar nisto: no Bar Luce, até os pacotes de açúcar são bonitos. Brancos e cor de rosa, condizem com o menu de bolos (alguns também cor de rosa) e com a jukebox em tons pastel onde se alinham alguns êxitos italianos dos anos 50 e 60. Podia ser o cenário de um filme do realizador de Moonrise Kingdom, mas é ainda melhor do que isso: é um café para visitar na vida real, na Via Orobia, em Milão.

As portas abriram oficialmente dia 9 de maio e voltam a unir Anderson à Prada, agora não na forma de anúncios artísticos mas numa cafetaria à altura da nova fundação da marca, dedicada às artes. “Apesar de achar que daria um belo cenário para um filme, acho que seria um lugar ainda melhor para escrevê-lo”, disse o realizador num comunicado divulgado pela Fondazione Prada. “Tentei fazer um bar onde gostasse de passar as minhas tardes não-ficcionais.”

Vindo do realizador que encena cada frame de cada filme com a mesma minúcia de um controlador aéreo, não é de estranhar que o café esteja recheado de pormenores kitsch, do chão quadriculado da casa de banho à máquina de pinball dedicada a Steve Zissou, a personagem principal de Um Peixe Fora de Água, passando pelos bolos que, embora não digam Mendl’s, como em O Grande Budapeste Hotel, têm Anderson escrito (não literalmente) na cobertura.

View this post on Instagram

i do love that man! ???? #wesanderson #barluce

A post shared by Eva Pacor (@evapacor) on

View this post on Instagram

#barluce #pasticceriamarchesi

A post shared by Corrado Calza (@brando66) on

Como explica o mesmo comunicado, alguns detalhes do prédio original foram mantidos, nomeadamente o teto em arco, uma versão em miniatura do telhado de vidro da Galleria Vittorio Emanuele, um edifício que faz parte da história arquitetónica de Milão e que no Bar Luce é também replicado nos padrões que decoram metade das paredes.

Outras fontes de inspiração são dois filmes italianos do neo-realismo: Miracolo a Milano, de Vittorio De Sica (1951) e Rocco e i suoi fratelli, de Luchino Visconti  (1960). As mesmas décadas são revisitadas nas cadeiras e mesas a condizer e nos painéis de madeira que forram as paredes onde está encostada a máquina que permite beber um cappuccino ao som de Rita Pavone.

https://instagram.com/p/2ZPRrhhx4l/?taken-by=_mrfidelio_

View this post on Instagram

#WesAnderson #BarLuce ????????????????

A post shared by Serena Belcastro (@serenalisbon) on

Fãs de Wes Anderson, apontem: o Bar Luce está aberto das 9h00 às 22h00, ideal para tomar um pequeno-almoço ou para um lanche-matiné.